Esta quinta-feira um bombista suicida fez-se explodir na rua Charles de Gaulle em Tunes, capital da Tunísia, junto a um carro da polícia. Um agente da autoridade acabou por morrer e outro ficou ferido, assim como três civis.

Por depois, um segundo bombista fez-se explodir junto a uma esquadra no distrito de Qarjani, também na capital, ferindo pelo menos quatro pessoas.

O balanço de mortos e feridos em ambos os ataques foi transmitido pelo ministro do Interior da Tunísia.

Não se sabe, até ao momento, quem poderá estar por detrás deste ataque.

A Tunísia tem vindo a combater milícias que operam em áreas remotas junto à fronteira com a Argélia desde que uma revolta derrubou o líder Zine Abidine Ben Ali, em 2011.

Em outubro do ano passado, uma mulher fez-se explodir no centro da capital ferindo 15 pessoas, incluindo 10 polícias.

Dezenas de pessoas morreram em ataques em 2015, o que deixou o país em estado de emergência, incluindo dois turistas — um num museu em Tunis e outro na praia de Sousse. Um terceiro ataque visando a guarda presidencial matou 12 pessoas na capital. À data, o autoproclamado Estado Islâmico reivindicou os ataques.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.