No Dia Nacional do Mar, Vasco Cordeiro ia intervir num palanque perante algumas dezenas de alunos, mas acabou por improvisar uma curta aula, na qual começou por evocar o poema "Tanto Mar", de Manuel Alegre.

"Não há palavra com tanto mar como a palavra Açores", diz o escritor e histórico socialista nesse poema, e "se isso é assim do ponto de vista da poesia", os números, disse Vasco Cordeiro, comprovam a tese.

Os Açores são "dois mil quilómetros quadrados de área terrestre" e "um milhão de quilómetros quadrados de mar, e se toda essa área de mar fosse terra seriam a França e Alemanha juntas", disse o chefe do executivo açoriano.

E prosseguiu: "Mais de metade do mar português, do nosso país, corresponde ao mar dos Açores".

Nesse sentido, há um "potencial imenso" no mar da região, mas há vários desafios a enfrentar, nomeadamente o da sustentabilidade.

"É nossa responsabilidade cuidar e tratar" do mar, "património" deixado pelos antepassados e que Vasco Cordeiro sinalizou que deve chegar "aos filhos" dos alunos a quem se dirigia e às gerações seguintes.

"Mais do que impedir-nos e obrigar-nos a ficar apenas nas nossas ilhas, este mar imenso impeliu-nos a procurar outras paragens", sublinhou ainda, falando "desafio do conhecimento" que o mar açoriano comporta.

Vasco Cordeiro falou ainda aos alunos da escola de Vila Franca do Campo da Escola do Mar, a implementar em breve na Horta, ilha do Faial, e dedicada a todos os que se interessem por profissões ligadas ao mar.

O Governo dos Açores conclui hoje uma visita de trabalho de três dias na ilha de São Miguel.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.