O Ministério Público indicou através do Twitter que vai investigar a morte de Yonathan Quintero, de 21 anos, que morreu “na noite de terça-feira na avenida Villa Florida” da cidade de Valência, capital de Carabobo, durante uma “situação irregular”.

O Ministério Público não deu mais detalhes sobre o caso.

Por sua vez, o diretor nacional da Proteção Civil, Jorge Galindo, informou que um autocarro se despistou “ao tentar evitar uma barricada” na via Puerto Cabello-Valencia, e que este acidente causou dois mortos e outros dez feridos, os quais foram transportadas para um hospital na zona.

Também através do Twitter, Galindo mostrou fotografias dos obstáculos na via, que alegadamente causaram o acidente.

Centenas de opositores em Caracas e outras cidades da Venezuela montaram barricadas nas ruas e avenidas em protesto pela convocatória do Presidente, Nicolás Maduro, para eleger uma Assembleia Nacional Constituinte para transformar o Estado venezolano e reformular o seu ordenamento jurídico.

No caso do estado de Carabobo, 150 quilómetros a oeste de Caracas, estas manifestações prolongaram-se durante a tarde, apesar de a plataforma opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) ter anunciado o final por volta das 10:00 (14:00 GMT).

Algumas destas manifestações terminaram com atos de vandalismo cometidos na maioria por pessoas encapuzadas, com a MUD a distanciar-se dos respetivos autores e o Governo a descrevê-los como opositores violentos.

Antes destes incidentes em Carabobo, o balanço oficial da violência desencadeada no âmbito dos protestos antigovernamentais vividos na Venezuela no último mês era de 29 mortos, cerca de 500 feridos e mais de mil detidos.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.