“Hoje, na sequência da sua decisão de se candidatar à campanha para as próximas eleições gerais nos Países Baixos, o vice-presidente executivo Frans Timmermans apresentou a sua demissão de membro da Comissão Europeia”, informou a instituição numa nota enviada à comunicação social.

Segundo o comunicado, a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, “expressou a sua gratidão ao vice-presidente executivo Frans Timmermans pelos seus muitos anos de trabalho bem-sucedido em prol da Comissão e dos cidadãos europeus e aceitou a sua demissão com efeitos imediatos”.

O até agora vice-presidente responsável pelas Relações Interinstitucionais, Maros Sefcovic, passará a ser vice-presidente executivo para o Pacto Ecológico Europeu, ficando temporariamente com a pasta da ação climática até à nomeação de um novo membro neerlandês para a Comissão Europeia.

Caberá agora ao Governo neerlandês designar um candidato para essa substituição, já que o colégio de comissários é composto por 27 membros, um por cada Estado-membro do bloco.

A saída de Frans Timmermans é a terceira baixa do executivo liderado por Ursula von der Leyen, que iniciou funções em 2019, depois de a primeira ter ocorrido em 2020 quando o então comissário europeu do Comércio, Phil Hogan, deixou o cargo após uma polémica relacionada com a sua participação num jantar de golfe que violou as restrições impostas pela Irlanda no âmbito da pandemia de covid-19.

Na altura, a pasta do Comércio passou para o vice-presidente executivo Valdis Dombrovskis e foi nomeada a irlandesa Mairead McGuinness, que ficou encarregue dos Serviços Financeiros.

A segunda saída ocorreu em maio deste ano, quando a até então comissária europeia da Inovação e Educação, Mariya Gabriel, se demitiu do cargo para formar governo na Bulgária, com as suas pastas a passarem temporariamente para a vice-presidente executiva Margrethe Vestager (Inovação e Investigação) e para o vice-presidente Margaritis Schinas (Educação, Cultura e Juventude).

A presidente da Comissão Europeia propôs, entretanto, a búlgara Iliana Ivanova para comissária da Inovação, Investigação, Cultura, Educação e Juventude, aguardando-se agora o aval do Parlamento Europeu, que deverá ser dado em setembro.

Recentemente, foi ainda anunciado que Margrethe Vestager é uma das candidatas a assumir no próximo ano a presidência do Banco Europeu de Investimento, a instituição de financiamento da União Europeia (UE).

No comunicado hoje divulgado, Ursula von der Leyen agradece ainda a Frans Timmermans “pelo seu trabalho apaixonado e incansável para tornar o Pacto Ecológico Europeu uma realidade”.

Antes de assumir a pasta da ação climática no atual mandato do executivo comunitário, Frans Timmermans desempenhou também funções na Comissão Europeia entre 2014 e 2019 como primeiro vice-presidente responsável pela melhoria da regulamentação, pelas relações interinstitucionais, pelo Estado de direito e pela Carta dos Direitos Fundamentais.

Timmermans, de 62 anos, foi hoje confirmado como cabeça da lista social-democrata e verde para as eleições legislativas antecipadas neerlandesas do outono.

“Frans Timmermans foi escolhido como cabeça da lista GroenLinks-PvdA para as eleições legislativas de 22 de novembro de 2023”, declarou o partido ecologista GroenLinks, num comunicado.

Dos mais de 37.700 membros votantes, 91,8% escolheram o neerlandês que defendeu o ambicioso Pacto Verde da UE, precisou o GroenLinks.

A votação era, contudo, uma formalidade, dado que não havia qualquer outro candidato à liderança da lista.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.