Num vídeo publicado inicialmente na internet e nas redes sociais, Richard Barklie, William Simpson, Joshua Parsons e James Fairbairn, todos adeptos do clube inglês de futebol, aparecem a impedir um homem negro de entrar na carruagem do metro e a entoar as palavras “somos racistas, somos racistas e é assim que gostamos”.

Nesse dia, o Chelsea visitou o Paris Saint-Germain, em jogo a contar para a Liga dos Campeões.

Barklie, um antigo polícia de 52 anos, e Simpson, de 27 anos, foram condenados a um ano de prisão com pena suspensa. Ambos não comparecerem na sessão de decorreu em Paris.

Joshua Parsons e James Fairbairn, de 22 e 25 anos, foram os únicos que marcaram presença, tendo o tribunal ordenado penas de oito e seis meses, respetivamente, também suspensas.

Os quatros adeptos terão ainda que pagar coletivamente uma indeminização de 10 mil euros a Souleymane Sylla, o homem que foi impedido de entrar na carruagem.

Na sessão, Parsons ainda pediu desculpa a Sylla, mas negou que se tenha tratado de um ato racista.

Parsons, Fairbairn e Barklie estão atualmente impedidos de entrar em qualquer estádio de futebol no Reino Unido.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.