“Estamos mais preparados agora para esses jogos do que no primeiro ano, onde não perdemos nenhum, mas nem de perto, nem de longe estávamos melhor preparados. Há coisas que não se explicam. Acredito sempre que podemos ganhar, olho para esta equipa e temos muito mais estofo agora. É muito claro, mas as pessoas olham muito para os resultados, cabe-me a mim não olhar apenas para isso”, expressou o treinador.

Em conferência de imprensa de antevisão à receção ao Gil Vicente, o técnico da turma ‘verde e branca’ reforçou que o campeonato é a “grande prioridade”, depois dos jogos da Taça de Portugal (8-0 ao Dumiense) e da Liga Europa (1-1 na visita aos italianos da Atalanta), com este último duelo a servir para preparar um “jogo complicado” em casa.

“É claro para todos onde errámos no jogo com a Atalanta. Trabalhámos e preparámos ao máximo taticamente este jogo, contra uma equipa de um treinador que ganhou cá no ano passado e joga muito bem. Os três médios jogam muito bem, são muito bons com bola e podem criar-nos problemas. Jogo complicado, queremos e precisamos de voltar às vitórias para seguir o nosso caminho”, apontou Rúben Amorim, com 38 anos.

O treinador reforçou ainda que o desaire com o Benfica e a igualdade com a Atalanta, que, apesar de garantir a passagem, impediu os ‘leões’ de chegarem à liderança do seu grupo na Liga Europa, são algo “que não se explica e não têm a ver com mentalidade”.

“À semelhança da nossa primeira época, as equipas que ganham títulos são as equipas que, mesmo não jogando bem, arranjam maneiras de ganhar. Gostamos de complicar, temos o jogo controlado, deixamos correr até ao fim e, depois, sofremos um pouco. Somos muito competentes e competitivos no que fazemos. Este ano estamos bem no campeonato, devíamos ter ganho o último jogo, mas é emendar esses erros”, realçou.

Pedro Gonçalves falhou várias oportunidades flagrantes de golo em Bérgamo, o que acabou por custar o triunfo do Sporting, mas Rúben Amorim salientou que é uma fase que atravessa, fruto da exigência e dos números que apresentou noutras temporadas.

“São fases que acontecem aos jogadores. Já teve fases muito boas, tem uma exigência muito grande com ele próprio. Cinco golos e três assistências para um médio, no início do campeonato, para ele já é pouco. Corresponder ano após ano é muito difícil. Gosto muito de tudo o que o Pote faz, tem jogado muito bem, é muito inteligente e ajuda a equipa. Tem de apanhar o comboio outra vez e tenho a certeza que o vai fazer”, disse.

Desta forma, Rúben Amorim assumiu que Pedro Gonçalves vai jogar na segunda-feira, enquanto o sueco Viktor Gyökeres se encontra em dúvida, embora vá ser convocado. Ivan Fresneda e Daniel Bragança continuam em recuperação e são ausências no jogo.

O Sporting, segundo colocado, com 28 pontos, recebe o Gil Vicente, 13.º, com 11, na segunda-feira, às 20:15, no Estádio José Alvalade, em Lisboa, em jogo da 12.ª jornada da I Liga, que terá a arbitragem de Cláudio Pereira, da Associação de Futebol de Aveiro.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.