O tenista, que no início de janeiro não suportava as dores e ponderava o abandono, disputará na terça-feira um encontro de pares na relva londrina de Queens, ao lado do espanhol Feliciano Lopez.

“Não sei como é que me vou sentir quando voltar ao ‘court’, mas estou relaxado, tenho a oportunidade, não esperava chegar aqui”, referiu o tenista, campeão em Wimbledon em 2013 e 2016 e no Open dos Estados Unidos em 2012.

O escocês, de 32 anos, explicou que não sabia como se sentiria com a operação, mas que considera que a intervenção mudou a sua vida e que isso “é fantástico”, embora não tenha nenhum objetivo definido, tão somente jogar.

“Não sei o que esperar, não tracei metas, pelo simples facto de estar num ‘court’ novamente, a sentir-me bem e sem dores. Vou retirar prazer de competir, já tenho prazer em treinar e fazer coisas que não conseguia há uns meses”, acrescentou.

A competição de Queens é uma das que antecede Wimbledon, terceiro torneio do Grand Slam e o mais importante de relva, com Murray a ser o único britânico a vencer na era Open.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.