“A tragédia voltou a atingir o futebol. O FC Porto solidariza-se com os familiares das vítimas e com o povo angolano”, escreveram os ‘dragões’ na página oficial da rede social Facebook.

O Sporting manifestou “total solidariedade para com o povo angolano” e o Benfica enviou “condolências às famílias das vítimas” e desejou “força” a Angola.

Pelo menos 17 pessoas morreram hoje na cidade angolana do Uíge, norte do país, alegadamente ao forçarem a entrada no Estádio Municipal 4 de Janeiro, para assistirem ao jogo entre o Santa Rita de Cássia, treinado por Sérgio Traguil, e o Recreativo de Libolo, de Vaz Pinto, na ronda inaugural do Girabola.

A informação foi prestada à Lusa por fonte da equipa da casa, o Santa Rita de Cássia, que se estreia esta época no principal campeonato angolano de futebol.

A mesma fonte indicou que o incidente, que terá provocado ainda mais de 60 feridos, terá levado à morte, por asfixia, de vários adeptos, incluindo crianças.

A informação é confirmada igualmente pela imprensa local, que além dos 17 mortos refere que cinco dos feridos estão em estado grave, no hospital provincial do Uíge.

Os relatos locais apontam para um incidente logo aos sete minutos de jogo, quando centenas de pessoas invadiram um dos portões do mesmo estádio, originando quedas e fazendo com que dezenas de pessoas pisadas entre a confusão.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.