“Acho que houve um percalço há duas ou três semanas, mas significa que a justiça está a funcionar, não só no caso dos e-mails, mas também no dos ‘vouchers’. É fundamental para o futuro do futebol e nós acreditamos que a justiça vai funcionar”, disse Bruno de Carvalho à saída da audiência com o secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo.

A audiência, solicitada por Bruno de Carvalho há várias semanas na sequência do último castigo que lhe foi aplicado pelo Conselho de Disciplina da FPF, decorreu hoje à tarde nas instalações do Ministério da Educação e demorou quase três horas.

“Não vou falar do que estivemos a conversar. As pessoas já sabem que lutamos por contribuir sempre para um desporto melhor. Foi por causa disso que viemos hoje aqui ter esta reunião e é sempre positivo para o Sporting poder expor as suas opiniões e, sobretudo, as suas ideias”, disse o presidente dos ‘leões’, que abordou ainda a partida de quarta-feira em Turim, frente à Juventus.

Confrontado com as queixas do treinador Jorge Jesus sobre o trabalho da equipa de arbitragem no final da partida, Bruno de Carvalho defendeu que “está na altura de o vídeoárbitro chegar a todo o lado e não só aos campeonatos do mundo”.

“É muito importante para os profissionais de futebol, para aqueles que trabalham afincadamente, como são os do Sporting, que o videoárbitro seja implantado o mais rápido possível em todas as competições. É importante que os adeptos estejam satisfeitos, independentemente de saberem que as suas equipas não ganham sempre, mas é fundamental que os erros de arbitragem diminuam cada vez mais. O Sporting fez uma grande exibição em Turim, pena os erros que houve, mas no domingo cá estaremos para enfrentar um novo jogo”, disse.

O pedido de audiência de Bruno de Carvalho ao secretário de Estado da Juventude e Desporto surgiu na sequência dos três castigos que lhe foram aplicados pelo Conselho de Disciplina da FPF, que contabilizam 113 dias de suspensão, o último dos quais por declarações prestadas numa entrevista ao canal de televisão do clube, em que teceu duras críticas àquele órgão federativo e ameaçou processar o seu presidente, José Manuel Meirim.

“O doutor Meirim tem de começar a perceber que as decisões que vai tomando – sejam ou não por unanimidade – têm consequências. Que não me venha dizer que isto é uma ameaça, mas vou colocar os meus advogados a trabalhar nessa atuação muito parcial no que à minha pessoa diz respeito”, afirmou então Bruno de Carvalho, para quem o presidente da CD da FPF “vai ter de responder no sítio certo pelas decisões que tem tomado”.

Os castigos anteriores foram aplicados na sequência de um comentário de Bruno de Carvalho na rede social ‘Facebook’, no qual contestava o facto de a FPF contabilizar apenas 18 títulos de campeão do Sporting, ao contrário dos 22 reclamados pelo clube, que lhe valeu uma punição de três meses de suspensão, e do célebre caso do túnel de Alvalade, com o presidente do Arouca, pelo qual foi castigado com mais seis meses.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.