Depois do triunfo na quarta-feira, em San Siro, frente ao inter de Milão, por 2-0, para a Liga dos Campeões, o Real Madrid surgiu completamente ‘desfigurado’ neste regresso a casa, onde acusou o golo prematuro do Alavés, logo aos cinco minutos.

Esse tento surgiu na sequência de um pontapé de canto, com a bola a ‘cair' ao segundo poste, onde surgiu o central Laguardia a rematar de cabeça contra o braço de Nacho, levando o árbitro a marcar penálti, que seria convertido por Lucas Pérez.

A partir do golo, o Real Madrid foi uma equipa sem chama, sem atitude e sem soluções para abrir espaços numa defesa com dois centrais intratáveis, Victor Laguardia e o francês Florian Lejeune, que se sentiu sempre confortável perante um adversário lento, previsível e desinspirado.

No início da segunda parte, aos 49 minutos, o guarda-redes belga Thibaut Courtois complicou ainda mais as coisas para o Real Madrid, com um ‘brinde natalício’ numa reposição de bola, oferecendo-a a Joselu, que agradeceu e colocou o Alavés a vencer por 2-0 até quase perto do final.

No entanto, a equipa visitante podia ter feito o terceiro golo em várias transições rápidas que apanharam o Real Madrid completamente desorganizado, e acabou por sofrer o único golo aos 86 minutos, pelo brasileiro Casimiro, na sequência de um pontapé de canto e numa recarga a um primeiro remate do seu compatriota Vinicius, lançado em campo aos 63, a render Asensio.

Noutra partida da 11.ª jornada, o Sevilha foi vencer ao terreno do Huesca já perto do final, aos 83 minutos, com um golo do avançado marroquino Youssef En Nesyri, que tinha sido lançado por Julen Lopetegui apenas aos 74 minutos, a render o médio, Oliver Torres, ex-FC Porto.

O momento do golo da equipa andaluz reflete as dificuldades impostas pelo Huesca, que foi uma equipa competente a defender e que ‘roubou' os espaços ao Sevilha, que só encontrou o caminho do golo num rasgo do argentino Lucas Ocampos, que ‘tirou um coelho da cartola' numa jogada de inspiração à linha, deixando dois oponentes para trás, e oferecendo o golo a Youssef En Nesyri junto ao primeiro poste, com um desvio para o fundo das redes.

Entretanto, noutro jogo importante desta jornada, o Atlético de Madrid venceu hoje em Valência, graças a um golo na própria baliza do lateral esquerdo da equipa da casa, António Latorre Gruesa, e ‘encostou' à liderança da prova.

Depois de ter cedido um ‘nulo' em casa a meio da semana para a Liga dos Campeões, frente ao Lokomotiv de Moscovo, os ‘colchoneros' voltaram a ficar aquém do esperado e nem mesmo o português João Félix, que ‘saltou' do banco ao intervalo conseguiu ‘mexer' com o jogo e ter influência direta no resultado.

O lance que decidiu a partida surgiu já na reta final, aos 79 minutos, quando o belga Yannick Carrasco, numa jogada conduzida por si, cruzou para o interior da área e viu Antonio Latorre Grueso ser infeliz ao introduzir a bola na própria baliza.

O Valência, que teve Gonçalo Guedes de início e Thierry Correia a partir do minuto 70, segue na 10.ª posição, com 12.

Horas antes, o Elche podia ter ascendido, de forma provisória, ao quarto lugar da classificação, mas, em inferioridade numérica desde o minuto 45+3, empatou a um golo na receção ao Cádiz, mantendo o quinto posto, com 15 pontos, enquanto os visitantes estão em oitavo, com 13.

Em função dos resultados de hoje, a Real Sociedad, que recebe no domingo o Villarreal, partilha a liderança com o Atlético Madrid, que tem menos um jogo, ambos com 23 pontos, seguidos do Villarreal, que é terceiro, com 19, do Real Madrid, quarto, com 17, e do Sevilha, quinto, com 16, também com menos um jogo.

De sublinhar o 14º lugar ocupado pelo FC Barcelona, com 11 pontos, em oito jogos, que recebe no domingo o Osasuna.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.