“Mais uma vez, a UEFA mostrou como se preocupa pouco com os adeptos. Parecia nossa aliada na Superliga, mas agora vira-nos novamente as costas. A insistência na organização de voos charter, com os quais só estaremos 24 horas em Portugal, para além de se ter de fazer os testes (covid-19), criou preços proibitivos”, criticou Dan Silver, porta-voz da claque Chelsea Supporter Trust.

Os 800 ingressos são vendidos num pacote que inclui voo de Londres para o Porto pelo valor de cerca de 430 euros.

Além do preço, o porta-voz queixou-se da decisão de mudar a final, inicialmente prevista para Istambul, para o Porto, em vez de o fazer para a Inglaterra, país dos dois finalistas.

“Vender bilhetes de até 430 euros para uma final de acesso limitado, com viagens desnecessárias, quando havia soluções mais óbvias para chegar à final na Inglaterra, é lamentável”, reforçou.

Ao todo, estima-se que a final poderá vir a ser presenciada por 16.500 pessoas no Estádio do Dragão, com capacidade para 50.000 lugares.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.