Com pouco menos de 24 horas na 10ª etapa, menos de três milhas separam os seis primeiros barcos, enquanto o vento continua fraco. Desde que deixaram a capital galesa, Cardiff, no domingo, a frota foi perseguida pela brisa inconstante, percorrendo menos de 400 milhas a velocidades de no máximo 10 nós.

O único barco que não está enredado nos ventos fracos é o Team Sun Hung Kai / Scallywag, mas a equipa de David Witt está 77 milhas atrás dos líderes depois de ter sido apanhada na mudança da maré e ser forçada a ancorar durante a noite passada.

O Dongfeng, liderado por Charles Caudrelier, assumiu a liderança na noite de domingo, depois do Team Brunel e o MAPFRE terem entrado numa zona quase sem vento.

Com 1.300 milhas, a 10ª etapa é a menor de todas as 11, mas com apenas três pontos separando o Dongfeng, o MAPFRE e o Brunel na classificação geral, a sua importância é enorme.

"Depois do início, andamos bem, mas depois “estacionamos” junto com o MAPFRE", disse Bekking. “O Dongfeng fez a‘ Buffalo Girl ’vindo de trás e, mantendo alguma pressão acabou por passar para a frente. Por sorte, apanhamos um pouco de vento logo a seguir e começamos a ganhar em relação aos outros barcos. Lentamente o vento aumentou durante a noite e tivemos que fazer várias mudanças de vela, que foram perfeitamente executadas. Agora podemos ver a Irlanda e o vento está a cair, por isso os barcos atrás de nós provavelmente vão recuperar, mas nós vamos com o Dongfeng”.

A menos de cinco milhas de distância do Dongfeng, em sexto lugar, está o Vestas 11 Hour Racing que está a fazer todo o possível para apanhar os seus adversários.

"Tivemos um bom começo e, de repente, ficou tudo ao contrário", disse Jena Mai Hansen, do Vestas 11th Hour Racing. “Para já, ainda podemos ver toda a frota, por isso só precisamos acelerar um pouco mais para que possamos apanhá-los."

Depois de passar o Fastnet Rock, a frota passará por Bull Rock e começará a curva à direita para começar a subir a costa oeste da Irlanda, com ventos contrários. É uma etapa curta, mas técnica, com muitas oportunidades e muitos perigos.

"Esta etapa é complicada", explicou Dee Caffari, skipper do Turn the Tide on Plastic. “Muita terra em ambos os lados, muitos promontórios, muitas variações de maré e depois algumas plataformas de petróleo e parques eólicos. Vai ser um trabalho muito duro para o navegador, especialmente porque não ficaremos longe da vista do resto da frota o tempo todo. Vai ser animado”.

O ETA para a chegada a Gotemburgo, na Suécia, é quinta-feira à noite.

Classificação da 10ª etapa da Volvo Ocean Race, às 12:00 UTC de segunda-feira, 11 de junho

  1. Dongfeng Race Team - 1062,6 milhas náuticas para terminar
  2. Brunel - + 1,6 milhas náuticas
  3. MAPFRE - + 1,8 milhas náuticas
  4. AkzoNobel - + 2,2 milhas náuticas
  5. Turn the Tide on Plastic - + 2,3 milhas náuticas
  6. Vestas 11th Hour Racing - + 2,4 milhas náuticas
  7. SHK / Scallywag - + 67,1 milhas náuticas

Classificação da Volvo Ocean Race após a 9ª etapa

  1. Dongfeng Race Team - 60 pontos
  2. MAPFRE - 59 pontos
  3. Brunel - 57 pontos
  4. AkzoNobel - 48 pontos
  5. Vestas 11th Hour Racing - 36 pontos
  6. SHK / Scallywag - 29 pontos
  7. Turn the Tide on Plastic - 26 pontos

** Se houver empate na classificação geral da prova, no final das etapas, a classificação das In-Port Race Series será usada como factor de desempate.

Classificação das In-Port Race Series da Volvo Ocean Race

  1. MAPFRE - 56 pontos
  2. Dongfeng Race Team - 49 pontos
  3. Brunel - 41 pontos
  4. AkzoNobel - 39 pontos
  5. Vestas 11th Hour Racing - 26 pontos
  6. Sun Hung Kai / Scallywag - 21 pontos
  7. Turn the Tide on Plastic - 17 pontos

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.