"Hoje, a especial foi particularmente dura. Fizemos mais de 100 quilómetros em dunas, o que foi deveras difícil. Fui passando bem, mas num ou noutro sítio mais complicado ficámos presos e perdemos algum tempo. A navegação também foi muito complicada. Mas, de uma forma geral, a etapa correu relativamente bem, porque, onde pudemos, andámos muito depressa e não tivemos problemas mecânicos", assinalou em comunicado Elisabete Jacinto.

A equipa portuguesa, composta por Elisabete Jacinto, José Marques e Marco Cochinho, cumpriu os 374,37 quilómetros da jornada que ligou Azougi a Amodjar em 5:14.57 horas, alargando a vantagem que tem para o segundo classificado, o belga Noel Essers, que tem agora uma desvantagem de 2:12.00 horas para os portugueses.

Na classificação geral com os automóveis, os portugueses ficaram no oitavo lugar da especial de hoje, mantendo o sexto posto na geral.

"Estamos felizes, porque já só faltam duas etapas para terminar a corrida e os resultados são excelentes", realçou a piloto portuguesa.

Na sexta-feira, cumpre-se a 10.ª etapa do África Eco Race, com um trajeto de 471,58 quilómetros a ligar Amodjar e Akjout.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.