Depois da exibição muito aquém e consequente derrota na primeira ronda, frente ao alemão Alexander Zverev, o maiorquino, atual líder do ‘ranking’ mundial, voltou a apresentar dificuldades na reedição da final do último US Open, porém, e quando estava com uma desvantagem de 5-1 no terceiro e decisivo ‘set’, conseguia quebrar duas vezes consecutivas o serviço do russo (quarto), que dispôs de um ‘match-point’ quando vencia por 5-3.

Ao longo de duas horas e 47 minutos de encontro, Nadal mostrou falta de ritmo e inconsistência no seu jogo, que, ainda assim, chegou para manter a esperança viva de garantir uma vaga nas meias-finais, precisando obrigatoriamente de vencer o grego Stefanos Tsitsipas, que ainda hoje enfrenta Zverev, na terceira ronda.

Após o triunfo suado, e ainda no ‘court’, o espanhol reconheceu que foi bafejado pela sorte e que “ganha um jogo destes a cada mil” disputados.

“Sinceramente tive muita sorte. Sinto muito pelo Daniiil, é uma derrota muito dura. Jogou melhor que eu no terceiro ‘set’ e é um daqueles dias em que ganhamos uma vez a cada mil [jogos]”, comentou.

Nas contas do grupo Andre Agassi, Zverev qualifica-se já hoje para a ‘meias’ se superar Tsitsipas, que em caso de derrota vai discutir a última vaga frente a Nadal, enquanto Medvedev necessita que o tenista helénico vença o alemão em três ‘sets’ para ter chances no apuramento.

Nas meias-finais já está o austríaco Dominic Thiem, que se qualificou pela primeira vez, depois de vencer por (6-7 (5-7), 6-3, 7-6 (7-5) o sérvio Novak Djokovic, na terça-feira, que vai decidir com o suíço Roger Federer a outra vaga.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.