A simbolizar esta ação está a apresentação de um cachecol com as cores do arco-íris, numa representação da comunidade LGBTI - lésbicas, gays, bissexuais, transgénero e intersexo -, à semelhança das braçadeiras de capitão e de treinadores com as mesmas cores e que no futuro vão impulsionar a luta também contra o racismo ou a desigualdade de género.

Paralelamente, o Estoril vai promover ações de formação para treinadores e dirigentes, cumprindo mais um objetivo no âmbito da Carta Portuguesa para a Diversidade e do compromisso pelos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, assinados em 2018.

"Não há espaço no nosso clube para qualquer tipo de preconceito e discriminação. O cachecol do arco-íris é, só por si, uma mensagem clara, mas vamos mais longe. Temos em marcha um processo de formação de treinadores, coordenadores e dirigentes, que tem por objetivo capacitá-los para identificar, gerir e valorizar a diferença. Não vamos permitir qualquer tipo de ato discriminatório", afirmou Alexandre Faria, presidente do Estoril, em declarações ao site oficial estorilista.

O desafio entre o Estoril Praia, quarto classificado, com 37 pontos, e a Académica, quinta, com os mesmos pontos, está marcado para este domingo, às 20:00, no Estádio António Coimbra da Mota.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.