“Vai ser uma ótima forma de ganhar ritmo e surfar ondas portuguesas enquanto a competição do circuito mundial não arranca. Fico mesmo muito feliz pelo surf estar de volta. Uma vez mais é uma marca da qual sou embaixador a proporcionar este circuito impulsionador. Tenho a certeza que vai ser um bom campeonato”, afirmou Frederico Morais, citado pela organização.

‘Kikas’, que já se sagrou campeão nacional duas vezes, em 2013 e 2015, é o único português no circuito mundial de surf, que, tal como todos os campeonatos da modalidade foram suspensos devido à pandemia de covid-19.

“Estou muito contente por poder voltar a competir na Liga. Geralmente, e por uma questão de calendário é impossível, mas este é um circuito que muito me diz, não só porque é nacional como também porque foi onde dei os meus primeiros passos. Vejo-o com uma janela de oportunidade para todos aqueles que querem ser surfistas profissionais”, prosseguiu o surfista natural de Cascais.

O Allianz Figueira Pro vai ser, entre sexta-feira e domingo, a primeira prova de surf do mundo depois da interrupção provocada pela pandemia provocada pelo novo coronavírus.

Em 2020, ‘Kikas’ já tinha disputado duas provas do circuito de qualificação (WQS), caso do Sydney Pro, na Austrália, onde não foi além da segunda ronda, e do Pro Taghazout Bay, em Marrocos, onde chegou ao terceiro lugar.

Além de Frederico Morais, a prova figueirense vai contar com a presença do atual bicampeão nacional Miguel Blanco, do vice-campeão Tomás Fernandes e de Vasco Ribeiro, que já conquistou o título português quatro vezes e ocupa o 11.º lugar no WQS.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.