Depois de ter sido segundo classificado em três de seis participações, Froome, que em julho venceu também a Volta a França, concluiu a ‘Vuelta’ com 2.15 minutos de avanço sobre o italiano Vincenzo Nibali (Bahrain Mérida), segundo, e 2.51 face ao russo Ilnur Zakarin (Katusha-Alpecin), que fechou o pódio.

Na última etapa, Trentin foi o mais rápido no ‘sprint’ final, ao cumprir os 117,6 quilómetros do percurso em 3:06.25 horas, à frente do francês Lorrenzo Manzin (FDJ), segundo classificado, e do dinamarquês Soren Kragh Andersen (Sunweb), terceiro.

Froome é o 10.º ciclista a fazer a ‘dobradinha’ em grandes voltas

O britânico Chris Froome, que hoje venceu a 72.ª Volta a Espanha, é o 10.º ciclista a conseguir vencer duas ‘grandes voltas’ no mesmo ano, conseguindo a ‘dobradinha’ Tour-Vuelta, que não acontecia desde 1978.

Desde o triunfo do francês Bernard Hinault, em 1978, em França e em Espanha, que um ciclista não juntava as duas provas, sendo que o líder da Sky, de 32 anos, é apenas o segundo a conseguir vencer duas 'grandes voltas' no mesmo ano no século XXI, após o espanhol Alberto Contador, que hoje se retirou, ter vencido o Giro e a Vuelta em 2008.

Froome, que com a prova espanhola chegou aos cinco triunfos nas 'três grandes', o sétimo melhor registo histórico, cumpriu a 'dobradinha' mais rara, uma vez que, além de Hinault, apenas o também francês Jacques Anquetil, em 1963, logrou vencer as duas provas no mesmo ano.

O recordista de 'dobradinhas' é o belga Eddy Merckx, que venceu cinco vezes o 'grand boucle', outras cinco a 'corsa rosa' e ainda uma vez a ‘Vuelta’, conseguindo ganhar pelo menos duas das 'grandes' no mesmo ano quatro vezes - primeiro em 1970 e depois de 1972 a 1974, com Hinault, vencedor de 10 'grandes voltas', a conseguir fazê-lo por três vezes, em 1978, 1982 e 1985.

O registo mais frequente é a dupla Giro-Tour, que aconteceu por 12 vezes, face a três de cada uma das outras combinações, sendo que nenhum ciclista arrebatou as três provas no mesmo ano.

Ao todo, e contabilizando o feito de Froome, foram conseguidas 18 'dobradinhas' por 10 ciclistas diferentes, sendo que Giro-Vuelta do italiano Giovanni Battaglin, em 1981, o Giro-Tour do irlandês Stephen Roche, em 1987, e o Giro-Tour do também italiano Marco Pantani, em 1998, foram as únicas vitórias nas 'três grandes' das suas carreiras.

Lista de ‘dobradinhas’ nas três grandes Voltas do ciclismo

1949 - Fausto Coppi (Ita), Giro-Tour.

1952 - Fausto Coppi (Ita), Giro-Tour.

1963 - Jacques Anquetil (Fra), Tour-Vuelta.

1964 - Jacques Anquetil (Fra), Giro-Tour.

1970 - Eddy Merckx (Bel), Giro-Tour.

1972 - Eddy Merckx (Bel), Giro-Tour.

1973 - Eddy Merckx (Bel), Giro-Vuelta.

1974 - Eddy Merckx (Bel), Giro-Tour.

1978 - Bernard Hinault (Fra), Tour-Vuelta.

1981 - Giovanni Battaglin (Ita), Giro-Vuelta.

1982 - Bernard Hinault (Fra), Giro-Tour.

1985 - Bernard Hinault (Fra), Giro-Tour.

1987 - Stephen Roche (Irl), Giro-Tour.

1992 - Miguel Indurain (Esp), Giro-Tour.

1993 - Miguel Indurain (Esp), Giro-Tour.

1998 - Marco Pantani (Ita), Giro-Tour.

2008 - Alberto Contador (Esp), Giro-Vuelta.

2017 - Chris Froome (GB), Tour-Vuelta.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.