Os dois principais barcos eram os mais a leste a 25 de abril, enquanto a frota de sete barcos se aproximava de uma zona de exclusão de campos de petróleo, a 100 milhas da costa do Rio, permitindo que continuassem a avançar norte por mais tempo, enquanto os seus rivais eram obrigados a cambar.

Às 03:30 UTC de dia 25, quando os barcos a  oeste cambaram, as equipas estavam praticamente lado a lado, separadas de oeste a leste por cerca de 12 milhas. Por volta das 13:00 UTC, todos os sete barcos estavam de volta a um bordo de estibordo, mais uma vez rumo a nordeste, mas a vantagem do Turn the Tide on Plastic aumentou para 17 milhas, com o Vestas 11th Hour Racing a menos de um quilómetro de distância.

"Nós navegamos à vista do Vestas nas últimas 24 horas, e perdemos o contacto com os outros, enquanto tivemos que rondar uma enorme nuvem ontem à tarde", disse Dee Caffari, do Turn on Tide on Plastic. “Havia muita chuva, talvez fossemos crescer de tanto sermos regados ou encolher de água em excesso!”.

“Atualmente, estamos a navegar pelo lado de fora de uma área de exclusão, outro campo de petróleo. Os ventos são leves e o estado do mar é plano. Ainda estamos com o Vestas e os outros parecem estar atrás de nós. Estou muito feliz!”.

Esta manhã, Caffari estava muito contente como a sua tripulação - todos excepto jovem Henry Bomby, que descobriu que se esqueceu da escova de dentes em Itajaí. “Liz Wardley, ofereceu-me a do kit de ferramentas”, escreveu ele. “Ainda não estou tão desesperado .….”

Uma vantagem de 17 milhas pode parecer insignificante, numa etapa de 5.600 milhas, mas dará ao Turn the Tide e ao Vestas 11th Hour Racing uma hipótese de aumentar a sua vantagem, assim que atingirem os ventos alísios do sudeste nos próximos dias.

Muitas vezes, como nos negócios, os ricos ficam mais ricos à medida que aproveitam uma brisa melhor e mais estável.

As cinco equipas que perseguem os líderes, têm que optar por seguir o duo da frente ou arriscar.

"É muito importante conseguir uma boa posição nas próximas 24 horas, antes de entrarmos nos ventos alísios, porque a partir daí será uma procissão", disse Kyle Langford, do Brunel. “As próximas 24 horas são críticas - vão definir a forma como vamos estar na próxima semana”.

Antes de voltar para estibordo, o Sun Hung Kai / Scallywag estava em último na classificação, a perseguir o Akzonobel.

Às 13:00 UTC, Dave Witt e o Scallywag estavam em quarto lugar, tendo passado o Akzonbel, o MAPFRE e o Brunel, e recuperou quase duas milhas em relação ao Turn the Tide on Plastic.

"Ainda temos 4.500 milhas para percorrer, por isso este atraso não é nada", disse Trystan Seal do Scallywag. "Só precisamos de nos manter em contacto, e encontrar o momento certo para atacar”.

8ª etapa - Classificação às 17:00 UTC - 25 de abril de 2018

  1. Vestas 11th Hour Racing (Charlie Enright) - 4523 milhas para o final
  2. Turn the Tide on Plastic (Dee Caffari) + 1,17 milhas
  3. Sun Hung Kai/Scallywag (David Witt) + 4,93 milhas
  4. Dongfeng (Charles Caudrelier) + 5,97 milhas
  5. MAPFRE (Xabi Fernandez) + 8,75 milhas
  6. Brunel (Bouwe Bekking) + 11,79 milhas
  7. AkzoNobel (Simeon Tienpont) + 12,05 milhas

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.