Segundo o responsável, uma das facadas desferidas ao jogador - conhecido como Tavinho, de 24 anos - "passou do pescoço até ao pulmão", causando lesões, o que está a obrigar a que esteja a respirar com o auxílio de uma máscara.

"O jogador foi operado no Hospital de Faro, esteve nos Cuidados Intensivos, mas já saiu e neste momento está estável", esclareceu António Correia, sublinhando que a situação é grave e que espera que "evolua favoravelmente".

Fonte do Centro Hospitalar e Universitário do Algarve (CHUA) adiantou à Lusa que o futebolista "está consciente", mas neste momento "a sua situação clínica ainda inspira cuidados", estando em observação.

António Correia disse ainda à Lusa que o jogador do Farense terá sido esfaqueado na sequência de uma discussão, cujo motivo desconhece, mas que não estará relacionada com o desporto ou com o futebol.

Segundo a GNR, o suspeito de esfaquear Tavinho já foi identificado, mas o caso passou entretanto para a alçada da Polícia Judiciária (PJ), que apenas confirmou à Lusa estar a investigar o crime.

Horas antes de ter sido esfaqueado com uma arma branca, Octávio Alexandre Leal Barros tinha jogado contra o Olhanense no jogo que qualificou o Farense para o ‘playoff’ de subida à II Liga de futebol.

O crime aconteceu às 05:15 no Largo do Cinema, em Vilamoura (concelho de Loulé, distrito de Faro), tendo estado no local elementos da Guarda Nacional Republicana (GNR), do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e da PJ.

O jogador é natural de Almancil (concelho de Loulé) e joga como avançado no Farense pela segunda época consecutiva.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.