“Sei exatamente do que o futebol norte-americano precisa e sei como consegui-lo”, escreveu Hope Solo na sua página pessoal na rede social Facebook.

A agora candidata disse estar convicta de que “não há maior sacrifício do que lutar pela igualdade, integridade e honestidade” e acrescentou: “a USSF pode dar muito mais à nossa gente e ao nosso país”.

Hope Solo, de 36 anos, foi convocada 202 vezes para a seleção dos Estados Unidos e integrou as equipas que ganharam os títulos olímpicos em Pequim2008 e Londres2012, e o Mundial de 2015.

A futebolista liderou o movimento que ameaçou boicotar os Jogos Olímpicos Rio2016 caso não fossem concedidos às mulheres subsídios iguais aos dos homens.

A guarda-redes deixou a seleção na sequência de uma suspensão de seis meses, que lhe foi imposta pela USSF, depois de ter feito comentários considerados antidesportivos contra as jogadoras da Suécia nos quartos de final do torneio olímpico Rio2016.

Solo já tinha sido suspensa em 2015 após ter sido detida durante um estágio da seleção, por ter insultado um polícia quando seguia de carro com o marido, que conduzia embriagado.

Tendo a igualdade entre jogadores e jogadoras a sua principal bandeira, Solo aumenta para nove a lista de candidatos à presidência da federação norte-americana, cujas eleições se realizam em fevereiro de 2018.

O atual presidente, Sunil Gulati, já fez saber que não será candidato.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.