“Infelizmente, estão a tentar manchar a minha imagem”, escreveu o avançado brasileiro na rede social Weibo, o equivalente chinês ao Twitter.

Hulk, que desde 2016 representa o Shangai SIPG, foi acusado pelo treinador do Guizhou Zhicheng, Li Bing, de ter agredido o seu adjunto, no intervalo do jogo entre as duas equipas.

Segundo Li Bing, a agressão ocorreu no túnel de acesso ao relvado e terá sido motivada por questões racistas.

“Estou de consciência tranquila. Deus sabe que só quero fazer o que mais gosto: Jogar futebol!”, disse o jogador, acrescentando: “Gosto muito de estar na China, admito e respeito todos os chineses”.

O Shangai SIPG, treinado pelo português André Villas-Boas, ocupa a segunda posição da liga chinesa, com menos dois pontos que o líder e hexacampeão, o Guangzhou Evergrande.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.