Na conferência de imprensa realizada no Estádio António Coimbra da Mota, o técnico ‘estorilista’ reconheceu que “não imaginava este cenário”, de estar dependente de terceiros à penúltima ronda do campeonato, e apelou a uma equipa com “coração e cabeça” para bater no domingo um rival direto na fuga à despromoção.

“Irá ser amanhã [domingo] o dia em que nós temos de dizer, como grupo, se queremos ficar na I Liga. Só podemos dar essa resposta em campo, com atitude, fazendo mais golos do que o adversário. Amanhã [domingo] é o dia D. Está nas nossas mãos se queremos ou não continuar nesta Liga. Vamos ter aqui os nossos adeptos e temos de lutar por eles”, declarou.

Com a equipa no último lugar e apenas 26 pontos, menos três do que o adversário sadino, Ivo Vieira vincou que, independentemente das contas necessárias com outros clubes, o Estoril só pode pensar em ficar no primeiro escalão se somar duas vitórias nas duas últimas jornadas.

“É um jogo em que o Estoril tem de ter coração e cabeça: coração para andar e cabeça para pensar. Só cabeça ou só coração não vai dar, tem de ser uma junção das duas coisas. Temos de ter inteligência e intensidade no jogo”, frisou, acrescentando: “Para acalentarmos uma possível manutenção, dependemos muito de nós. Temos de ganhar os nossos jogos”

O treinador madeirense lamentou a falta de eficácia que tem penalizado os seus jogadores nos últimos encontros, lembrando, a título de exemplo, a derrota (1-0) com o Desportivo das Aves na jornada anterior, mas relativizou a ausência por lesão do avançado brasileiro Kléber nesse contexto, esclarecendo ainda que o jogador ainda não será opção para este domingo.

“A mensagem não tem passado. Se passasse, teríamos ganhado. É nítida a falta de golos da equipa, esse défice. É verdade que o Kléber podia ter acrescentado, mas não podemos viver do ‘se’. O ‘se’ é muito bonito para nos agarrarmos a alguma coisa”, vincou, sem deixar de notar que “pode haver alguma intranquilidade no momento de fazer o golo”, devido à juventude e a “alguma falta de maturidade” da equipa.

A apreciação positiva à qualidade de jogo do seu conjunto, por comparação com os demais adversários diretos na corrida pela permanência, voltou a ser enfatizada por Ivo Vieira.

Por outro lado, o treinador madeirense deixou em aberto o futuro no clube e garantiu não estar preocupado com a continuidade ou uma eventual saída no final da época.

“É uma decisão que os responsáveis é que têm de tomar. Estou concentrado na esperança e na luta que temos para ficar na I Liga. Pouco importa se irei continuar ou não, isso é discutível, mesmo se estivéssemos numa outra posição. Não é um trauma ficar ou continuar. Antes já pus as pessoas à vontade, se acharem que sou um problema na estrutura passarei logo a ser uma solução”, finalizou.

O Estoril Praia, último classificado, com 26 pontos, recebe este domingo, às 16:00, o Vitória de Setúbal, 16.º, com 29, no Estádio António Coimbra da Mota, em jogo da 33.ª jornada da I Liga.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.