O Sport Rio Tinto-Canelas 2010, da 3ª jornada da fase de subida da Divisão de Elite da Associação de Futebol do Porto, durou apenas alguns minutos e acabou por ser interrompido, depois de um jogador da equipa visitante ter agredido o árbitro.

Segundo fonte do Rio Tinto, "num dos primeiros lances da partida, o jogador Marco, do Canelas, agrediu um jogador da equipa da casa e imediatamente o árbitro mostrou o cartão vermelho", a partir daí gerou-se a confusão.

"Depois de ter recebido a ordem de expulsão, o jogador rodeou o árbitro e agrediu-o com violência, com uma joelhada, atirando-o ao chão. Foi socorrido de imediato e ele próprio chamou o INEM para ser assistido no local, pois tudo leva a crer que partiu o nariz", esclareceu ainda em declarações à agência Lusa.

A polícia entrou em campo para serenar os ânimos, acompanhando Marco na saída do retângulo de jogo.

Também contactado pela Lusa, Luciano Gonçalves, presidente da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF), classificou o ato como "vergonhoso" e alertou que situações como esta não devem voltar a acontecer.

"O que aconteceu é vergonhoso para o futebol e não pode voltar a acontecer. As instâncias têm que pôr mão nisto de alguma forma. Estas situações estão a passar o âmbito desportivo e têm que terminar. Porque corremos o risco que um dia apareça um árbitro morto num qualquer relvado", começou por dizer o dirigente.

Luciano Gonçalves explicou ainda que situações como esta têm sido recorrentes e que a necessidade de agir com "medidas severas" tornou-se imperativo.

"Sinto que estão a querer desvalorizar um assunto muito grave e, atendendo à gravidade das questões que têm vindo a acontecer, é necessário procurar em todas as instâncias soluções para colocar um ponto final nisto de uma vez por todas", esclareceu ainda.

Após o incidente, ficou definido que não estavam reunidas as condições de segurança para que o jogo continuasse.

De acordo com o Mais Futebol, o incidente foi captado pela transmissão do projeto Minuto 90.

Esta não é a primeira vez que o Canelas está envolvido em situações de violência durante os jogos. Em outubro do ano passado, 12 clubes do campeonato da Série 1 da Divisão de Elite da associação do Porto anunciaram que se recusavam a jogar com o Canelas 2010 e reportaram a sua decisão à AF Porto.

Os clubes em questão queixavam-se do "clima de terror e intimidação" que se vivia nos jogos com o Canelas. Jogadores e dirigentes denunciaram ainda comportamentos violentos dos jogadores e pressão constante sobre as equipas de arbitragem.

Do clube fazem parte alguns elementos da claque "Super Dragões", entre eles Fernando Madureira. Sobre a polémica, o líder da claque portista e jogador disse numa entrevista ao Expresso que a equipa joga de "forma viril" e que "o futebol não é ballet”.

[Notícia atualizada às 17:55]

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.