"Apresento-me para anunciar a minha demissão e a do resto do conselho de administração. É uma decisão considerada por todos. Esta manhã recebi a resposta do Governo da Generalitat (Catalunha), que reitera não haver impedimentos jurídicos para celebrar o voto de censura. Isto significa que se exige a descentralização do voto e não mencionam a nossa proposta de ter 15 dias de margem para poder garantir as medidas de segurança necessárias”, informou Josep Maria Bartomeu, na conferência convocada de urgência.

A direção presidida por Bartomeu, que assumiu a liderança do clube catalão em janeiro de 2014, sucedendo a Sandro Rossel, agora será dirigida por uma comissão de gestão, a cargo de Carles Tusquets, presidente da comissão estatutária económica do clube, sendo que terá de convocar eleições no prazo máximo de três meses, assim que os seus membros tomem posse.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.