“Temos de estar ao nosso melhor nível. O Benfica é uma das equipas mais poderosas de Portugal. Esta época não estão exatamente onde pretendiam no campeonato, mas estão a ir longe na Liga dos Campeões e, por isso, será um adversário difícil”, sustentou Klopp, em conferência de imprensa.

O treinador alemão espera um adversário que alia “técnica, velocidade e boa organização”, já no encontro da primeira mão dos ‘quartos’, na terça-feira, no Estádio da Luz: “É isso que os torna perigosos.”

“São uma equipa disposta a correr riscos. Quando está em posse de bola abre a formação tática e há muito espaço que é preciso defender. Temos de ganhar bola e aproveitar esses momentos. É o que têm feito em quase todos os jogos, mas talvez contra nós joguem de forma completamente diferente e temos de nos adaptar”, observou.

Klopp não tem dúvidas de que o Benfica já “superou as expectativas” na principal prova europeia de clubes, recordando que os ‘encarnados’ “não eram favoritos a apurarem-se no seu grupo [que integrava Bayern Munique, FC Barcelona e Dínamo Kiev], nem frente ao Ajax”, mas progrediram na competição.

“Temos vários especialistas em futebol português na nossa equipa, mas não é necessário nenhum tipo de informação privilegiada. Toda a informação foi analisada durante a manhã de hoje e temos de nos certificar que a conseguimos utilizar”, comentou Klopp, em referência aos jogadores que passaram pelo futebol português, como Diogo Jota e o colombiano Luis Díaz.

O técnico do Liverpool, campeão europeu em 1977, 1978, 1981, 1984, 2005 e 2019, está particularmente atento a Darwin Núñez, melhor marcador do campeonato, com 21 golos, tendo já faturado quatro vezes na ‘Champions’, mas assinalou que o avançado uruguaio “não é a única ameaça”.

“O Benfica tem uma boa equipa, talentosa, mas sim, é um bom avançado. Um jogador de topo. O golo que marcou frente ao Ajax em Amesterdão foi dos grandes. Na fase de grupos também. No último jogo [na I Liga] entrou ao intervalo, por isso, esperamos que jogue de início. Temos de nos certificar que não terá muitas oportunidades”, notou.

Klopp advertiu que “há outros bons jogadores” no plantel do clube lisboeta, que conquistou os títulos europeus em 1961 e 1962: “Rafa, com a bola, é muito rápido, conheço, obviamente, Weigl, João Mário tem muita qualidade e há outros com grande experiência, como Otamendi”.

O defesa internacional neerlandês Virgil van Dijk também espera “um jogo muito difícil” na terça-feira, a partir das 20:00, em Lisboa, mas só pensa em “levar um bom resultado para Anfield” e dar mais um passo no sentido de “tornar esta época inesquecível”.

“O Benfica está entre as oito equipas finalistas da Liga dos Campeões e se estão é por uma razão. Vai ser um jogo muito difícil. Vi o encontro com o Barcelona, já o analisámos, e temos de lhes mostrar o respeito que merecem”, avisou o defesa-central.

Van Dijk disse que ficou “em choque” quando soube, no domingo, que o treinador Louis Van Gaal está a sofrer com um tipo agressivo de cancro na próstata, manifestando “todo o apoio” ao selecionador dos Países Baixos.

O jogo entre Benfica e Liverpool, da primeira mão dos quartos de final da Liga dos Campeões, disputa-se na terça-feira, a partir das 20:00, no Estádio da Luz, com arbitragem do espanhol Jesús Gil Manzano.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.