O bronze foi tirado a ‘ferros’, depois da atleta se ter ressentido de uma lesão que sofreu nos Jogos Olímpicos de Tóquio2020.

Liliana Cá até tinha, à partida, a melhor marca da época entre as atletas em prova (62,47). Mas, após três lançamentos nulos, garantiu a medalha na sexta e última tentativa, ultrapassando a lituana Ieva Zarankaite no terceiro lugar, a 82 centímetros da vencedora, a italiana Daisy Osakue.

Também no disco, Irina Rodrigues foi sexta classificada, com 59,68 metros, longe do melhor desta época, 62,08.

No peso masculino, Francisco Belo foi quinto, com 20,11 metros no arremesso mais conseguido, mas distante do seu melhor esta temporada (20,64). Ainda assim, bem melhor que Tsanko Arnaudov, o outro português em ação, que não foi além de 19,12 metros, no fim da classificação.

A competição do peso masculino ficou marcada por um novo recorde da Taça da Europa de Lançamentos, agora pertença do italiano Zane Weir, que arremessou o engenho a 21,99 metros, depois de uma tarde de animado despique com o compatriota Nick Ponzio, que, antes, também havia batido a anterior melhor marca.

Entre os sub-23, Leandro Ramos conquistou a prata no dardo, com 76,48 metros, menos 73 centímetros que o francês Teura’itera’i Tupaia.

Portugal terminou esta Taça da Europa de Lançamentos com duas medalhas nas divisões principais, depois do ouro no peso feminino conquistado por Auriol Dongmo no primeiro dia e do bronze de Liliana Cá na segunda jornada.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.