A única equipa madeirense a disputar o escalão mais alto do futebol português realizou no complexo desportivo do clube, em Santo António, a habitual bateria de exames médicos, tendo as provas de resistência acontecido na Universidade da Madeira, num projeto em parceria entre as duas entidades, intitulado de Marítimo Training Lab.

O plantel foi dividido em dois grupos e vai alternar na terça-feira os locais mencionados, estando previstos para quarta-feira treinos físicos no campo, mas com bola apenas no dia seguinte.

O capitão Edgar Costa falou à comunicação social no regresso ao ativo, tendo garantido que o objetivo passa por “alcançar a melhor classificação possível, fazendo melhor do que na época passada”.

Sobre a 10.ª posição, fruto dos 38 pontos somados na temporada transata, o madeirense, que completa a nona época ao serviço dos ‘verde rubros’, admite que “soube a pouco”.

“Para quem joga neste clube, o 10.º lugar sabe sempre a pouco. Temos de ambicionar sempre mais. Apesar de termos começado mal, terminámos bem a época passada. Temos um plantel com qualidade”, reforçou o atleta de 35 anos.

Sobre a continuidade de Vasco Seabra, que assumiu o comando técnico na 12.ª jornada, sucedendo a Julio Velázquez, que deixou a equipa na 17.ª e penúltima posição da tabela classificativa, Edgar Costa defende que o processo fica mais facilitado, porque o plantel já “conhece os seus métodos de trabalho e vice-versa”.

Já o guarda-redes Paulo Victor, utilizado em 30 partidas oficiais na temporada transata, destacou como ”importantíssima” a permanência do técnico natural de Paços de Ferreira, sublinhando que ouviu várias pessoas e equipas a falar sobre o treinador no Brasil, onde passou férias.

Sobre a ausência de reforços até à data, assume que, apesar da saída de poucos jogadores [Guitane e Alipour], é importante trazer elementos que possam fazer a diferença.

“Clubes que almejam coisas grandes e competir a alto nível com certeza que têm de contratar jogadores que venham fazer a diferença”, frisou o guarda-redes mais utilizado por Vasco Seabra.

O regresso da formação madeirense ficou marcado pela  ausência de Zainadine e Clésio Baúque, autorizados a chegar mais tarde, por terem estado ao serviço da seleção, estando o regresso dos internacionais moçambicanos previsto para a próxima semana.

Quem também não marcou presença no primeiro dia da bateria de exames foi o avançado Henrique, que, segundo o clube, está igualmente autorizado a apresentar-se mais tarde, mas sem justificar a razão.

Vasco Seabra promoveu a subida dos avançados Carlos Parente, Francisco Gomes e do médio André Teles dos escalões secundários para avaliação nesta primeira etapa da fase de preparação.

Plantel provisório do Marítimo para 2022/23:

– Guarda-redes: Paulo Victor, Miguel Silva e Pedro Teixeira.

– Defesas: Cláudio Winck, Zainadine, China, Leo Andrade, Soderstrom, Matheus Costa, Moisés Mosquera e Vítor Costa.

– Médios: Beltrame, Edgar Costa, Pelágio, Iván Rossi, Bruno Xadas, Miguel Sousa, Diogo Mendes e André Teles (equipa B)

– Avançados: Joel, Clésio Baúque, Henrique, André Vidigal, Carlos Parente (sub-23) e Francisco Gomes (sub-23).

Treinador: Vasco Seabra.

Saíram: Guitane (Reims, França) e Alipour (Gil Vicente).

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.