Confirmada a saída do Barcelona, o exercício de imaginar onde poderá jogar Leo Messi na próxima época pode ser apaixonante para os adeptos do futebol. Das possíveis “reuniões” com Neymar – o Paris Saint-Germain é, para já, o “favorito” nas casas de apostas – ou Guardiola ao “sonho” de muitos adeptos de futebol de o juntar a Cristiano Ronaldo na Juventus, estes são alguns dos possíveis destinos para o astro argentino.

Manchester City

Um dos reencontros mais desejados do futebol mundial pode mesmo vir a acontecer este verão. O sonho do Manchester City não é de agora, e com o caminho livre para contratar o argentino pode ser desta que o n.º 10 da Argentina volta a jogar numa equipa comandada por Pep Guardiola.

Nas quatro temporadas que passaram juntos na Catalunha venceram duas Ligas dos Campeões, três campeonatos espanhóis, duas taças de Espanha, três supertaças espanholas e duas supertaças europeias.

Contudo, há um “problema”: o City acabou de contratar Jack Grealish por 117 milhões de euros, um valor recorde para uma transferência entre clubes ingleses, sendo que o britânico usará a camisola 10 do emblema de Manchester. É certo que um número é um número, mas será este um sinal de que o reencontro entre Messi e Guardiola não vai (para já) acontecer?

Paris Saint-Germain

Tal como o Manchester City, o Paris Saint-Germain tem sido um dos clubes que mais investiu na contratação de jogadores na última década, pelo que o esforço para contar com Messi no plantel (e voltar a juntá-lo a Neymar) seria “só” mais um.

A questão é que o clube de Paris tem passado por problemas financeiros (teve um prejuízo de 200 milhões de euros no ano passado, segundo o jornal espanhol Marca) e parecia mais interessado em renovar com Mbappé, o francês de 22 anos candidato a “substituir” Messi e Ronaldo no topo do futebol mundial, do que a contratar Messi.

Para além disso, parte do esforço para convencer Mbappé a ficar tem sido o reforço da equipa e, neste ponto, o Paris Saint-Germain não poupou esforços e gastou 70 milhões de euros a contratar o lateral-direito marroquino Hakimi e contratou a custo zero (mas com salários principescos) o defesa Sergio Ramos, o guarda-redes Donnaruma e o médio Wijnaldum.

Chelsea

O clube londrino, vencedor da edição passada da Liga dos Campeões, poderá ser um destino apetecível para o argentino, assumindo que Roman Abramovich poderá (voltar a) abrir os cordões à bolsa.

Ainda assim, os Blues parecem ser um desejo mais dos adeptos do Chelsea do que propriamente uma operação exequível do ponto de vista financeiro e desportivo, até porque o clube onde José Mourinho fez história parece interessado em contratar para o seu plantel um jogador que por lá já passou sem grande sucesso: o avançado belga Romelu Lukaku.

New York City FC

Aqui seria uma espécie de dois-em-um: Messi assinaria pelo Manchester City para, depois de algum tempo na Premier League, poder cumprir o desejo, já por si revelado, de jogar na MLS, principal campeonato de futebol dos EUA.

O destino seria o New York City, clube que pertence ao mesmo grupo empresarial que é dono do Manchester City, o que facilitaria a transferência.

Newell’s Old Boys

O clube argentino de onde Messi saiu para ir para Barcelona (e por onde passou Maradona numa fase final da carreira) é um desejo antigo do seis vezes melhor do mundo, desejo esse que foi assumido numa entrevista de há uns anos ampliada no jornal argentino Olé.

Nessa mesma conversa Messi assumiu que jogar no clube do Rosario era um “sonho pendente”, ainda que razões financeiras possam levar a que a viagem para a Argentina possa não ser, para já, concretizada (o argentino auferia cerca de 30 milhões de euros limpos por temporada no Barça, um valor proibitivo para o Newell’s e para a grande maioria dos clubes do mundo, de resto).

Juventus

Rumores são rumores, e valem o que valem, mas a verdade é que juntar, na mesma equipa, os jogadores que nos últimos 13 anos somam 11 distinções de melhor jogador do mundo (seis para Messi, cinco para CR7) seria puro deleite para muitos adeptos de futebol.

Para além disso, na Juve, Messi poderia encontrar Arthur (com quem jogou duas épocas em Barcelona) mas, principalmente, Dybala, seu companheiro na seleção argentina e que há uns meses comentou o eventual rumor que poderia levar Messi da Catalunha para Turim.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.