Num comunicado de imprensa, a Direção-Geral da Polícia lembrou a população de que qualquer manifestação nas vias públicas é “fortemente proibida”, devido ao estado de sítio imposto pelo Governo na passada quarta-feira, após o assassinato do Presidente, Jovenel Moise.

“Nesse sentido, as forças da ordem estão instruídas para tomarem todas as medidas coercivas necessárias contra os participantes”, acrescenta a nota de imprensa.

No sábado, o ex-polícia Jimmy Cherizier, com o apelido “Barbecue”, líder do G9 an Fanmi e Alye, a federação de grupos armados mais importante do país, convocou protestos para esta segunda-feira na capital haitiana para exigir reformas políticas após a morte de Jovenel Moise.

No Haiti, “Barbecue” era considerado homem próximo do Presidente Jovenel Moise, mas nos últimos dois meses ocorreram atos hostis do G9 an Fanmi e Alye para com a polícia.

No passado dia 01 de julho, “Barbecue” anunciou que passava para a oposição e liderou uma manifestação nas ruas de Porto Príncipe na qual membros do G9, armados com espingardas e armas automáticas, exigiram a renúncia de Jovenel Moise.

Desde o início de junho que se intensificou a violência entre os gangues armados que operam em Porto Príncipe, fruto de uma reconfiguração de alianças e de lutas pelo controle de alguns bairros.

Os conflitos entre os grupos causaram dezenas de mortos e feridos e levaram a que pelo menos 17.000 pessoas fugissem das suas casas, principalmente nos bairros de Martissant, na entrada sul de Porto Príncipe, e de Delmas, no coração do capital.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.