Em comunicado, a FIFA explica que o brasileiro violou as regras do organismo e está impedido de exercer qualquer função relacionada com futebol, numa suspensão que pode ser ampliada por mais 45 dias.

O nome de del Nero surgiu na investigação aberta nos Estados Unidos desde maio de 2015 à corrupção no seio da FIFA, o que motivou a suspensão pelo Comité de Ética, que agora passou o processo para o Comité Disciplinar do organismo de cúpula do futebol mundial.

O atual presidente, de 76 anos, foi acusado de ter recebido cerca de 6,5 milhões de euros em comissões, além de ter alegadamente tomado decisões importantes da CBF quando era apenas vice-presidente.

O antecessor de del Nero, José María Marin Fonte, de 83 anos, também já tinha sido acusado formalmente no processo.

O ‘escândalo’ envolve um total de 42 pessoas acusadas pelo tribunal de Nova Iorque, que já conseguiu audiências com o antigo presidente da CONMEBOL, Juan Ángel Napout, e o antigo dirigente da federação peruana, Manuel Burga, entre outros nomes.

Segundo os estatutos da CBF, o cargo será ocupado pelo vice-presidente mais velho, neste caso António Carlos Nunes.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.