A equipa insular, da I Liga, esteve por duas vezes em vantagem, com tentos de Luiz Phellype, de grande penalidade (15 minutos), e Jean Patric (34), mas em ambas o Rio Ave, do segundo escalão, resgatou a igualdade, por Aziz (17) e Zé Manuel (59), tendo o guardião Léo Vieira segurado empate, aos 72, a defender uma grande penalidade apontada por Lincoln.

Com este resultado, num jogo em que o Santa Clara atuou desde os 67 minutos em inferioridade numérica, devido à expulsão de Rafael Ramos, os dois conjuntos ficam em igualdade, com um ponto, num grupo do qual ainda faz parte o FC Porto, que folgou.

A partida começou bem ritmada, e sem se notar a diferença de escalões entre ambos conjuntos, que cedo assumiram posturas ambiciosas, tentando criar desequilíbrios nas saídas para o contra-ataque.

Ainda assim, o marcador só começou a mexer de bola parada, quando os açorianos dispuseram de uma grande penalidade, a castigar uma mão de Aziz na barreira de um livre, que Luiz Phellype, na cobrança, não desperdiçou, à passagem do quarto de hora.

A vantagem dos insulares acabaria por não durar mais de dois minutos, pois, praticamente no lance seguinte, Aziz redimiu-se do erro anterior, e, aproveitando um passe defeituoso de um adversário, surgiu isolado frente ao guardião Ricardo Fernandes e empatou para o Rio Ave.

O tento galvanizou os nortenhos, que passaram a rondar mais vezes a baliza do Santa Clara, ameaçando a reviravolta com remates de longa de distância, protagonizados por Pedro Amaral e Zé Manuel.

O Santa Clara não se intimidou com ambição do Rio Ave e, aos 34 minutos, já depois de Morita ter enviado uma bola à barra, na sequência de um contra-ataque, recolocou-se em vantagem, com Jean Patric a aproveitar um desentendimento da defesa vila-condense e a assinar o 2-1.

Os dois conjuntos mostraram inconformismo com o resultado e ainda criaram mais algumas situações de golos antes do intervalo, mas só no segundo tempo o marcador voltou a sofrer alteração, com os locais a recuperarem o empate, num cabeceamento de Zé Manuel, aos 59, a desviar um cruzamento de Ukra.

Pouco depois da hora de jogo o técnico Daniel Reis, numa tripla substituição no Santa Clara, alterou toda a frente de ataque, mas pouco depois da ‘mexida’, viu a equipa ficar reduzida a dez elementos, com a expulsão de Rafael Ramos, por acumulação de amarelos.

Apesar da contrariedade, os insulares tiveram ainda uma soberana oportunidade para retomarem a dianteira, aos 72, em mais uma grande penalidade, desta feita a castigar falta de Ângelo Menezes sobre Mansour, mas Lincoln, na marcação, permitiu a defesa de Léo Vieira, fazendo o 2-2 prevalecer até ao final.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.