Dennis, de 69 anos, recebeu um ultimato por parte dos acionistas que, numa reunião realizada hoje, exigiram a sua demissão como presidente do Conselho de Administração e diretor geral.

“Ron Dennis confirma que hoje o intimaram a abandonar as suas funções de presidente e diretor geral do McLaren Technology Group. Esta exigência segue-se à decisão da maioria dos acionistas de o colocar de licença”, pode ler-se no comunicado.

O britânico juntou-se à McLaren em 1980 e assumiu a sua liderança em 1981. Desde então, liderou a escuderia em vários períodos de domínio da Fórmula 1, que a tornaram na mais bem sucedida equipa da história depois da Ferrari.

Sob a sua batuta, a McLaren ganhou dez títulos mundiais de pilotos, com Niki Lauda, Alain Prost, Ayrton Senna, Mika Hakkinen e Lewis Hamilton, e sete de construtores.

Dennis detém 25 por cento do Grupo McLaren, com o fundo de investimento Mumtalakat a deter 50 por cento. Os restantes 25 pertencem ao seu antigo amigo e parceiro de negócios de longa data de Dennis, Mansour Ojjeh, que se aliou aos investidores do Bahrein.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.