“A Santa Clara Açores – Futebol, SAD irá, junto das instâncias responsáveis, fazer valer o seu direito de defesa por forma a tentar minorar os danos hoje causados à nossa equipa de futebol profissional”, avança o clube em nota de imprensa, sem concretizar.

A SAD insular expressa um “profundo desagrado” pelos “factos ocorridos” no encontro da 21.ª jornada disputado em Barcelos, mencionando a grande penalidade marcada “contra o Santa Clara, que resulta em golo do Gil Vicente, sem recurso ao videoárbitro (VAR)”.

Os açorianos realçam ainda a “expulsão de Lincoln”, por duplo cartão amarelo, num “lance de possível grande penalidade a favor” do Santa Clara, “novamente sem recurso ao VAR”.

O emblema açoriano condena também a “expulsão de Cryzan”, num “lance de falta a favor” dos insulares, e destaca que o árbitro não recorreu ao VAR num “lance passível de grande penalidade a favor do Santa Clara por braço na bola de um atleta adversário dentro da área”.

“Nos dias de hoje, face às tecnologias existentes para suportar o futebol e a verdade desportiva é inadmissível e incompreensível que aconteçam tão significativas decisões em prejuízo do Santa Clara no decorrer de 90 minutos”, lê-se no comunicado.

O Gil Vicente e Santa Clara empataram hoje 2-2, num jogo da 21.ª jornada da I Liga portuguesa de futebol disputado em Barcelos, que os açorianos terminaram com nove jogadores.

A partida foi arbitrada por Manuel Oliveira, da associação do Porto.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.