Os atletas regressavam de uma competição no estrangeiro e, apesar do seu estatuto desportivo, acabaram por ser confrontados com a inspeção das armas e das munições, recebendo autorização de entrada após 12 horas.

“Nós tínhamos os documentos necessários e não nos deixaram entrar. Tivemos de esperar horas pela chegada das autoridades alfandegárias”, disse um dos atiradores à agência AFP, lamentando o tratamento recebido.

O campeão olímpico em Pequim2008 Abhinav Bindra escreveu no na sua conta no Twitter: “Estes são os embaixadores do nosso país, deviam ser tratados como tal. Isso aconteceria com os nossos jogadores de críquete?”, questionou.

Também o presidente da federação indiana de tiro, Raninder Singh, deixou críticas ao sucedido, referindo ter ficado estupefacto com a situação.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.