Figura do título nacional dos ‘leões’ em 2020/21, o promissor lateral foi emprestado ao Paris Saint-Germain por uma época, gerando no imediato sete milhões de euros (ME), mais 40 ME referentes à cláusula de opção de compra a acionar no final de 2021/22.

Semelhante à aposta dos franceses em Danilo Pereira junto do FC Porto há um ano, o negócio de Nuno Mendes teve estes moldes devido às limitações impostas pelo ‘fair play’ financeiro junto do novo clube de Lionel Messi, inviabilizado de concretizar neste defeso nova investida avultada, mesmo tendo ficado abaixo dos 50 ME projetados pelos ‘leões’.

O Sporting esteve mais resistente à cobiça de Pedro Gonçalves, João Palhinha ou Matheus Nunes, completando um encaixe de 18,6 ME nas vendas de Luís Maximiano (Granada, 4,5), Valentin Rosier (Besiktas, 5,1) e Josip Misic (Dínamo Zagreb, dois).

Tiago Ilori (Boavista), Eduardo Quaresma (Tondela), Filipe Chaby (Nacional), Rafael Camacho (Belenenses SAD), Pedro Mendes (Rio Ave), Pedro Marques (Famalicão) e Luiz Phellype (Santa Clara) foram emprestados a nível interno, tal como Rodrigo Battaglia (Maiorca), Eduardo (Al-Raed), Idrissa Doumbia (Zulte Waregem), Joelson (Basileia), Gonzalo Plata (Valladolid) e Andraz Sporar (Middlesbrough) além-fronteiras.

Antunes (Paços de Ferreira), Lumor (Aris Salónica), Ivanildo Fernandes (Vizela), Tomás Silva (Vizela), Nuno Moreira (Vizela), Mattheus Oliveira, Leonardo Ruiz (Estoril Praia) e Abdoulay Diaby (Al Jazira) saíram a título definitivo, enquanto João Pereira terminou a carreira e Renan Ribeiro foi reintegrado depois de recusar várias vezes sair de Alvalade.

Antes de Nuno Mendes, o Sporting já tinha consentido outra ‘baixa’ de vulto, com João Mário a desvincular-se do Inter Milão para rumar ao Benfica a custo zero, compondo a principal ‘novela’ de uma janela de mercado em que os ‘encarnados’ faturaram 49,5 ME.

A venda de Pedrinho (Shakhtar Donetsk) permitiu recuperar os 18 ME desembolsados na época anterior, valendo mais do que Luca Waldschmidt (Wolfsburgo, 12 ME), Nuno Tavares (Arsenal, oito), Franco Cervi (Celta de Vigo, quatro), Caio Lucas (Sharjah, dois), Filip Krovinovic (Hajduk Split, 1,5) e Alfa Semedo (Vitória de Guimarães, 1,5).

Carlos Vinícius foi apresentado apenas na terça-feira pelo PSV Eindhoven, clube eliminado pelo Benfica no ‘play-off’ de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões, com uma taxa de empréstimo de 2,5 ME, além de uma opção de compra de 10 ME.

Tomás Tavares (Basileia), Pedro Pereira (Monza), Florentino (Getafe), Ilija Vukotic (Boavista), Tiago Dantas (Tondela), Tiago Araújo (Arouca), João Ferreira (Vitória de Guimarães), Nuno Santos (Paços de Ferreira), Chiquinho (Sporting de Braga) e Jota (Celtic) foram cedidos, perante as desvinculações de Jardel e Andreas Samaris.

Nas saídas definitivas constam ainda Godfried Frimpong (Moreirense), David Tavares (Famalicão), Diogo Mendes (Marítimo), Henrique Jocú (Portimonense) ou Daniel dos Anjos (Tondela), estando certa a reintegração de Ferro e pendente o futuro de Gabriel e Yony González, que têm mercados abertos em diversas latitudes até ao final do mês

Quanto ao FC Porto, Luis Díaz, Sérgio Oliveira e Jesús Corona, que termina contrato em 2022, foram cogitados no estrangeiro, mas permanecem onde estão, impossibilitando a SAD de consumar negócios de relevo face às necessidades de tesouraria, excetuado as cláusulas de compra ativadas de Danilo (PSG, 16 ME) e Chidozie (Boavista, cinco ME).

Malang Sarr (Chelsea) e Felipe Anderson (West Ham) terminaram os seus empréstimos, enquanto Moussa Marega (Al Hilal) imitou as recentes saídas de jogadores influentes a custo zero, como Vincent Aboubakar, Yacine Brahimi, Héctor Herrera ou Iván Marcano.

Se Ewerton (Portimonense) e Rodrigo Valente (Estoril Praia) saíram definitivamente, Carraça (Belenenses SAD), Rodrigo Conceição (Moreirense), João Pedro (Corinthians), Diogo Leite (Sporting de Braga), Mamadou Loum (Alavés), Romário Baró (Estoril), Shoya Nakajima (Portimonense) e Fernando Andrade (Rizespor) foram alvo de cedências.

Mesmo em plena recessão financeira, acelerada pela pandemia de covid-19, o mercado ditou negócios valiosos para outros clubes, com o Sporting de Braga a somar 15,25 ME com Ricardo Esgaio (Sporting, 5,5), Samú (Almería, 5,25) e Fransérgio (Bordéus, 4,5).

O Portimonense já recebeu sete ME por Beto (Udinese) e o Moreirense capitalizou Malik Abubakari (Malmö, 2,5), que nunca chegou a utilizar a nível oficial, tendo Santa Clara e Famalicão valorizado Carlos Júnior (Al Shabab, 2,5) e Anderson (Beijing Guoan, dois).

Beleneneses SAD e Boavista receberam metade das verbas por Mateo Cassierra (Sochi, 1,2) e Paulinho (Al-Shabab, um milhão), sendo que os ‘axadrezados’ beneficiaram da entrada do acionista Gerárd Lopez no Bordéus para assegurarem opções de compra obrigatórias nas saídas por empréstimo de Alberth Elis (7,5 ME) e Ricardo Mangas (1,5).

O Boavista rescindiu ainda com o campeão mundial Adil Rami (Troyes), mas reteve Reggie Cannon e Gustavo Sauer, tal como Al Musrati e Ricardo Horta no Sporting de Braga, Stephen Eustáquio no Paços de Ferreira, Hidemasa Morita no Santa Clara, André Almeida e Marcus Edwards no Vitória de Guimarães, Abdu Conté e Filipe Soares no Moreirense, Tomás Ribeiro no Belenenses SAD ou Miguel Crespo no Estoril Praia.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.