Com a perspetiva de atingir a meia-final da Liga Europa, o que seria apenas a segunda vez na sua história, e confortável no quarto lugar, Carlos Carvalhal não altera o discurso de forma a admitir privilegiar a competição europeia.

“Se dissesse que algo diferente de que o Vizela não é o mais importante estava a ser incoerente, vou manter o mesmo discurso. Temos que lutar pela camisola do Braga seja em que circunstância for, ainda com dois objetivos por concretizar. Vamos com tudo para o jogo com o Vizela e depois abordaremos o outro, que é na quinta-feira. Vamos analisar quem são os jogadores que estão em melhores condições, pode haver uma ou outra mexida, mas vamos apresentar o melhor ‘onze’ amanhã [domingo]”, disse.

O treinador admitiu que o lado físico “pesa sempre”, mas notou que a equipa tem “alguma experiência” em contornar esse aspeto.

As equipas defrontam-se pela terceira vez esta época, tendo os bracarenses vencido na primeira volta (4-1) e os vizelenses eliminado os ‘arsenalistas’ nos oitavos de final da Taça de Portugal (1-0).

“Espero um Vizela competitivo, muito à imagem do seu treinador, organizado e ousado, que gosta de jogar bom futebol. O Álvaro [Pacheco] tem feito um grande trabalho no Vizela, clube pelo qual tenho um carinho muito especial, tenho um passado lá, fico muito satisfeito pelo campeonato que estão a fazer, estão no bom caminho para ficarem a salvo”, disse.

Carlos Carvalhal lembrou que, no jogo da Taça de Portugal, o Sporting de Braga jogou desde os 28 minutos com menos uma unidade por expulsão de Abel Ruiz e, na segunda parte, com menos dois (André Horta).

“Espero que seja 11 contra 11 até ao fim, que não haja expulsões para ninguém e que no fim vença o melhor, e que o melhor seja o Braga”, disse.

O Sporting de Braga vem de uma semana muito positiva, após vitórias sobre o Benfica (3-2), na última jornada da I Liga, e Rangers (na quinta-feira, 1-0), na primeira mão dos ‘quartos’ da Liga Europa, defrontando um Vizela, que, na última jornada, em casa do Estoril Praia (2-1), pôs termo a sete rondas consecutivas sem vencer.

“A responsabilidade é sempre a mesma, entrar em todos os jogos para vencer. O Vizela é um adversário difícil, com competência, vem de uma vitória moralizadora, mas estamos apostados em ganhar o jogo. O contexto não é fácil, mas temos lidado bem com jogar a meio da semana. Queremos estar a ‘top’, porque isso é preciso para ganhar ao Vizela”, disse na antevisão da partida.

Batendo o Vizela, os bracarenses alcançariam a terceira vitória seguida no campeonato, o que ainda não conseguiram esta temporada.

“Abordamos todos os jogos para vencer, já matámos alguns ‘borregos’ esta época, isso é interessante para os adeptos, mas o nosso foco é total no próximo jogo”, disse.

A pouco mais de um mês de terminar a época, no fim da qual termina contrato com o Sporting de Braga, Carlos Carvalhal ainda não decidiu o seu futuro, nem tem uma meta temporal para isso: “Não estou preocupado com isso.”

Al Musrati, castigado, está de fora das opções para o jogo de domingo, tal como os lesionados Sequeira, Gorby e Roger.

Sporting de Braga, quarto classificado, com 52 pontos, e Vizela, 13.º, com 29, defrontam-se a partir das 20:30 de domingo, no Estádio do FC Vizela, jogo que será arbitrado por António Nobre, da associação de Leiria.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.