O anúncio do combate nestes moldes foi feito esta quarta-feira pelo presidente da Ultimate Fighting Championship (UFC), Dana White. "Vegas está oficialmente aberta!", afirmou o próprio num vídeo de promoção em que confirmou a data, a luta principal e o facto de o combate ser planeado para ter milhares de pessoas a assistir.

White já tinha referido em conferências de imprensa que o intento passava por voltar a realizar eventos com público. A diferença, enfatizou aos jornalistas na altura, era de que o regresso do público não seria nos moldes que se têm verificado, por exemplo, na NBA - com restrições ao nível de lugares e com distanciamento social na arena. A intenção passava por organizar um grande evento desportivo com 100% de lotação do local. E, hoje, White não só confirmou a luta que vai compor a trilogia entre Poirier e McGregor, como anunciou que o evento visa encher a T-Mobile Arena, que tem capacidade para albergar cerca de 20.000 espetadores.

Os bilhetes vão estar disponíveis para venda ainda esta semana e, sendo uma luta com Conor McGregor, a probabilidade é que esgotem rapidamente.

Esta não será, contudo, uma estreia nem a primeira vez que o UFC irá ter um evento com público em 2021. A debuta nestes moldes, ao fim de mais de um ano, vai acontecer no próximo dia 24 de abril, no UFC 261, em Jacksonville, na Florida, em que o segundo combate entre Usman vs. Masvidal vai ser o cabeça de cartaz e vão estar em disputa três cinturões.

O jornalista Ariel Helwani, da ESPN, no final do mês de março tinha avançado que o combate estava "prestes a ser finalizado", mas agora a notícia foi confirmada — numa altura em que o ambiente entre os dois intervenientes adensa nas redes sociais com acusações de parte a parte.

Os dois lutadores foram para o Twitter "lavar roupa suja" depois de Poirier insinuar que McGregor não cumpriu a promessa que tinha feito no combate anterior: doar 500.000 dólares à instituição de caridade do adversário, a The Good Fight Foundation, que ajuda a comunidade local da sua cidade natal do Louisiana.

No domingo, Poirier tweetou que McGregor e a sua equipa não responderam aos vários pedidos de contacto com a sua equipa. Volvidas 48 horas, o irlandês voltou à rede social para avisar que o "combate estava cancelado" e que iria procurar um novo adversário para enfrentar a 10 de julho, já que a sua equipa estava a fazer o "trabalho de casa" e queria saber para onde ia o dinheiro. Ora, hoje, pelos vistos, o presidente da UFC veio acabar com outros desfechos.

No último encontro no octógono entre ambos, em janeiro, Poirier ganhou via TKO no segundo assalto, no UFC 257, em Abu Dhabi. Seis anos antes, no UFC 178, em 2014, McGregor derrotou o norte-americano também TKO no primeiro assalto. Estando 1-1, o combate hoje confirmado servirá como tira-teimas.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.