O técnico dos escoceses Steven Gerrard revelou, na quinta-feira, após os checos vencerem em Glasgow, que Ondrej Kudela proferiu um insulto racista contra Glen Kamara.

“Um inspetor de ética e disciplina irá conduzir uma investigação no que toca aos incidentes ocorridos nessa partida da segunda mão dos oitavos de final da Liga Europa”, pode ler-se na curta nota da UEFA.

Segundo a mesma fonte, essa investigação foi investigada após um pedido do Comité Executivo, do presidente, do secretário-geral ou dos comités disciplinares, uma vez que decorre ao abrigo do 31.º artigo, artigo quarto, dos regulamentos.

O Slavia venceu por 2-0 e avançou para os quartos de final da prova, onde irá defrontar o Arsenal, de Inglaterra, denunciando ter sido também alvo de abusos na noite de quinta-feira.

Tanto o clube da capital da República Checa como Kudela negaram a alegação, mesmo depois de duras críticas do Rangers, que pede uma punição severa após uma noite em que vários outros jogadores “receberam abusos e ameaças racistas na Internet”.

Antes, a UEFA explicou que esperava os relatórios do jogo, por parte de árbitros e delegados, para avaliar o caso, que Kudela diz ter acontecido “de cabeça quente”, mesmo que sem intenção racista, citado em comunicado da equipa.

Mais, o Slavia diz que não conseguiu entrar no balneário no Ibrox, tendo Kudela recebido vários murros na cabeça por parte de Kamara, sob o olhar de Gerrard e de representantes da UEFA.

O organismo confirma a existência de “um incidente no túnel após o fim do jogo, com jogadores de ambas as equipas”, após uma partida em que a formação da casa terminou com nove jogadores, após as expulsões de Roofe e Balogun.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.