Durante o ano 2009, Portugal conquistou a vitória no europeu “B” de sub-20 (disputado em Coimbra), onde se sagrou tricampeão, foi medalha de bronze no Europeu de sub-18 (em Moscovo), os seniores garantiram a subida ao Rugby Europe Championship, primeiro escalão europeu debaixo da égide do Rugby Europe (o Torneio das Seis Nações está num patamar superior) e há hipóteses da seleção de sevens regressar ao Hong Kong 7’s (principal torneio da competição do Circuito Mundial - World Rugby Sevens Series).

Mas os feitos do râguebi português podem não ficar por aqui. A seleção sub-20, orientada por Luís Pissarra, conseguiu o inédito tricampeonato europeu nos sub-20 e garantiu o bilhete dourado para participar no World Rugby Trophy U-20, conhecido como Mundial "B" deste escalão.

O Brasil, São José dos Campos, uma das “casas” do râguebi brasileiro, acolhe a competição, de 9 a 21 de julho. O Brasil estará presente pela 1.ª vez neste torneio como seleção-organizadora.

Para Portugal será a terceira participação consecutiva esta competição, torneio que garante ao vencedor a subida ao World Rugby u20 Championship, a principal divisão deste escalão, onde pontificam a França, Nova Zelândia, Inglaterra ou a Austrália, entre outras seleções que fazem parte da elite mundial.

Nas duas edições anteriores os jovens Lobos subiram ao pódio. Em 2017, ficou a um pequeno passado (medalha de prata) de subir ao campeonato de Mundo do escalão e em 2018, garantiu o bronze.

Grandes, fortes e difíceis

Portugal parte para o Brasil com três títulos europeus, uma medalha de prata e bronze nos World Rugby Trophy. Ficou colocado no grupo B, com Tonga, Canadá e Hong Kong. Três adversários que gostam de apresentar o fator físico como cartão-de-visita.

Se o Tonga será um adversário inédito para os sub-20, o mesmo não se pode dizer das outras duas seleções. Os comandados de Luís Pissarra defrontaram os canadianos em dois jogos amigáveis, em março, nas Caldas da Rainha, tendo vencido ambos os encontros e Hong Kong foi um dos adversários na edição de 2017 do World Rugby Trophy.

A tipologia de jogo canadiana aproxima-se em alguns pontos à implementada por Portugal e destaca-se pelas características físicas. Hong Kong, seleção que é sempre uma incógnita, apresenta uma mescla de atletas locais e outros com um background anglo-saxónico, surge no Brasil depois de ter conquistado apenas 6 pontos no total das últimas sete edições do World Rugby Trophy. Por fim, Tonga, regressa a esta competição depois de três anos eliminada na fase de apuramento da Oceânia (as Ilhas Fiji e Samoa são por natureza as nações do Pacífico que marcam presença neste torneio) e que traz uma “artilharia” pesada em todos os sentidos da palavra.

No grupo A, só duas seleções apresentam, à priori, capacidade de chegar à final: Japão e Uruguai, enquanto o Brasil e o Quénia estão num patamar inferior em comparação a Hong Kong ou Canadá, por exemplo.

Virtuosismo, velocidade e vivacidade: o que Portugal pode oferecer

Luís Pissarra e a equipa técnica da seleção nacional de sub-20 têm conseguido montar estratégias de jogo de qualidade que se adaptam ao adversário e às condições do encontro e aposta num jogo de velocidade intensa.

Se Manuel Pinto, José Roque, José Madeira, Manuel Maia são fortes no jogo no chão ou a “roubar” a bola, Jerónimo Portela, Rodrigo Bento, Simão Bento ou Tomás Lamboglia destacam-se com o bom jogo de pés.

Em comparação com o Europeu em 2019, de referir os regressos de Rodrigo Marta e Raffaele Storti aos convocados. Contudo, há que destacar duas ausências de peso, por lesão: os asas titulares Manuel Nunes e João Tamagnini Sousa.

A equipa que poderá alinhar do início deverá passar por: David Costa, Rodrigo Bento, Duarte Conde, Sebastião Silva, José Madeira, Manuel Pinto, Manuel Maia e José Roque; Pedro Lucas, Jerónimo Portela, Simão Bento, José do Carmo, Raffaele Storti, Francisco Rosa e Rodrigo Marta.

Portugal entra em campo dia 9 (às 23h00, hora portuguesa) frente a Hong Kong, dia 13 (21h00) diante ao Canadá e a dia 17 enfrentam o Tonga (18h00), último jogo da fase de grupos. Os Lobos sub-20 fecham a participação no dia 21 de abril, dia de todas as finais da competição.

Os jogos podem ser acompanhados na World Rugby, seja no Facebook ou website e as análises dos resultados no Fair Play ou Portal do Rugby, com o acompanhamento também do SAPO24.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.