A companhia precisou num comunicado que prevê manter 78% dos voos intercontinentais de longo curso (mais de três horas), mais de 80% dos voos de média distância com saída ou chegada no aeroporto de Charles de Gaulle, em Paris, e 80% dos voos domésticos.

Estes dados foram calculados com base em informações dos trabalhadores que declararam antecipadamente – como é sua obrigação – que preveem participar na greve: 18,8% dos pilotos, 18% do pessoal de cabine e 10% do pessoal de terra.

A Air France não afasta anulamentos pontuais e possíveis atrasos de última hora nos trajetos assegurados.

Para depois, estão convocadas greves também em 04, 07 e 08 de maio.

As greves de quinta-feira e sexta-feira vão coincidir com as dos trabalhadores da empresa ferroviária pública francesa (SNCF).

O presidente da Air France, Jean-Marc Janaillac, lançou uma consulta aos trabalhadores da empresa, convicto que as posições defendidas pelos sindicatos não são maioritárias entre os trabalhadores.

A consulta, que decorre de forma eletrónica até às 18:00 em paris de 04 de maio, pregunta aos funcionários se são favoráveis à proposta da empresa de um aumento salarial de 2% este ano e de 5% nos três anos seguintes.

Janaillac indicou que apresentará a demissão se a proposta em consulta não for aceite pelos trabalhadores.

A Air France afirma que perdeu cerca de 300 milhões de euros com a série de greves que se têm realizado desde há mais de dois meses.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.