Na reunião anual do Fundo Monetário Internacional (FMI) com o Banco Mundial, Draghi disse que seria muito otimista considerar que o Brexit não terá consequências.

"Os especialistas notaram que o efeito a curto prazo sobre o referendo no Reino Unido foi menos dramáticos do que era esperado", disse.

"Mas pensar que não haveria qualquer consequência seria esperar demasiado", acrescentou, explicando que o prolongamento das consequências dependerá do tempo que o Reino Unido levará a sair da União Europeia.

"Certamente que esse é uma de outras que assombram o panorama do crescimento", afirmou.

A declaração parece um reconhecimento em uníssono do reflexo do 'brexit' na economia europeia. O tema terá sido certamente discutido na reunião tendo agora por base a queda, na sexta-feira, da libra em relação ao dólar.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.