“Os dados hoje publicados indicam que, no final de outubro de 2021, o montante global de empréstimos abrangidos por moratórias era de 3,2 mil milhões de euros, menos 15,9 mil milhões do que em setembro”, pode ler-se num comunicado do BdP.

Segundo o supervisor bancário, as reduções verificadas em setembro e outubro “são justificadas pelo término da moratória pública em 30 de setembro”.

“Esta descida reflete as reduções de 10,7 mil milhões de euros nos empréstimos concedidos a sociedades não financeiras e de cinco mil milhões de euros nos empréstimos a particulares”, acrescenta o BdP.

O supervisor já tinha indicado que a queda verificada em setembro iria prolongar-se pelo mês de outubro, uma vez que algumas instituições só registariam o fim das moratórias após o final de setembro.

Em setembro, o montante global de empréstimos abrangidos por moratórias foi de 19,2 mil milhões de euros, menos 17,2 mil milhões do que em agosto.

A maioria das moratórias de crédito terminaram em 30 de setembro, tendo os clientes de retomar o pagamento das prestações dos empréstimos a partir de outubro, designadamente créditos à habitação.

O decreto-lei do Governo, que saiu em agosto, diz que os bancos devem ser diligentes na sinalização de clientes em dificuldades e apresentarem melhorias das condições contratuais nos créditos de clientes que beneficiaram das moratórias públicas (as moratórias privadas já acabaram anteriormente), facilitando o seu pagamento.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.