De acordo com os dados divulgados hoje pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), em julho, as exportações tinham registado uma variação homóloga de 4,6% e as importações de 13,0%.

Os maiores contributos para a aceleração das exportações tiveram origem nas categorias económicas de material de transporte e de combustíveis e lubrificantes, sinaliza.

Excluindo os combustíveis e lubrificantes, as exportações aumentaram 12,4% e as importações cresceram 14,7% (respetivamente 5,1% e 9,6% em julho).

O défice da balança comercial de bens situou-se em 1,316 mil milhões de euros em agosto, o que representou um acréscimo de 105 milhões de euros face ao mês homólogo de 2016.

Segundo o INE, excluindo os combustíveis e lubrificantes, a balança comercial atingiu um saldo negativo de 1,054 mil milhões de euros, correspondente a um aumento de 201 milhões de euros em relação ao mesmo mês de 2016.

No trimestre terminado em agosto de 2017, as exportações e as importações de bens aumentaram respetivamente 8,0% e 10,8% face ao período homólogo, acrescentou o instituto.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.