Em 2016, as exportações de aço e alumínio para o mercado norte-americano atingiram os 21,56 milhões de euros, de acordo com dados provisórios, sendo que no ano passado, e segundo dados preliminares, as vendas ascenderam a 40,11 milhões de euros.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou na quinta-feira que irá impor taxas às importações de aço e alumínio para apoiar os produtores norte-americanos e aumentar o número de postos de trabalho.

O anúncio foi feito na Casa Branca, durante um encontro com executivos de empresas produtoras e transformadoras dos dois metais.

Durante a reunião, Trump apresentou penalizações de 25% nas importações de aço e 10% nas importações de alumínio, taxas que, segundo disse, vão continuar “por um longo período de tempo”.

No que respeita às exportações de aço, destaque para as exportações de barras e perfis de aço inoxidável no ano passado, que cresceram 76,1% para 32,51 milhões de euros, de acordo com dados preliminares do INE.

Relativamente ao alumínio, as exportações de barras e perfis aumentaram no ano passado 911% para 2,49 milhões de euros.

Já as obras de alumínio cresceram 35,1% para 2,57 milhões de euros, enquanto as relativas a construções e suas partes, por exemplo pontes e elementos de pontes, torres, pórticos ou pilones, pilares ou colunas subiram 156,1%, para 2,01 milhões de euros.

Nos primeiros 11 meses de 2017, as exportações de bens portugueses para o mercado norte-americano progrediram 18,4%, face a igual período do ano anterior, para 2,65 mil milhões de euros, enquanto as importações cresceram 15,3%, para 900 milhões de euros.

No final de novembro do ano passado, os Estados Unidos eram o quinto cliente de Portugal, enquanto Washington era o 11.º fornacedor de Lisboa.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.