“É possível que uma parte da explicação esteja no comportamento das exportações no final do ano, devido à greve dos estivadores no Porto de Setúbal que teve um impacto nos meses de novembro e dezembro” de 2018, afirmou o governante em conferência de imprensa em Lisboa.

Segundo a estimativa rápida do Instituto Nacional de Estatística (INE), o PIB português aumentou 2,1% em 2018, menos 0,7 pontos percentuais do que o observado no ano anterior.

O INE justifica que “esta evolução resultou do contributo mais negativo da procura externa líquida, verificando-se uma desaceleração das exportações de bens e serviços mais acentuada que a das importações de bens e serviços, e do contributo positivo menos intenso da procura interna, refletindo o crescimento menos acentuado do investimento”.

O ministro da Economia destacou que o crescimento do PIB mostra “que Portugal continua a crescer significativamente, acima da média da zona europeia e da zona euro”.

Pedro Siza Vieira disse ainda que o comportamento da economia no ano passado “também explica o grande dinamismo do mercado do emprego” e refletiu-se na “grande confiança dos investidores” em matéria económica.

A previsão do Governo de uma expansão de 2,3% do PIB no conjunto de 2018 era mais otimista do que a previsão da Comissão Europeia, de 2,1%, e da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e do Fundo Monetário Internacional (FMI), de 2,2%.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.