Em 4 de setembro, o grupo espanhol Prisa, que detém a Media Capital através da Vertix SGPS, anunciou a venda da totalidade da sua posição na dona da TVI a vários investidores, por 36,85 milhões de euros.

Em comunicado hoje enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Media Capital divulga um comunicado que recebeu da IBG, que tem atividade na construção, indústria e no imobiliário.

Esta 'holding' assinou em 04 de setembro um acordo de compra e venda ('sales and purchase agreement') com a Vertix e com a Prisa - Promotora de Informaciones para a aquisição "de 10.118.339 ações do capital social da sociedade comercial anónima grupo Media Capital", correspondente "à tomada de uma posição de 11,9725% no capital social desta sociedade", lê-se no comunicado.

"De acordo com a informação que é já pública, o texto do contrato assinado entre as partes prevê que a aquisição esteja sujeita à verificação de condições prévias. Assim, só após a comunicação pela Prisa/Vertix de que as referidas condições se verificaram - o que todavia não sucedeu - é que teremos por certa e perfeita a aquisição das ações por parte da IBG", refere a entidade.

"Nessa altura, procederemos então à comunicação a que estamos legalmente obrigados. Não obstante, fica desde já prestada a presente informação (nesta data também remetida à CMVM) com vista a evitar a contingência decorrente da divergência de interpretação quanto ao momento da génese da obrigação legal de comunicação da existência de uma participação qualificada", concluiu a IBG.

Noutro comunicado, a Media Capital refere que foi assinado na mesma data um outro acordo - "'share sale and purchase agreement' (celebração de acordo que permitirá a aquisição de participação qualificada assim que se verifiquem as condições suspensivas previstas) com a Vertix SGPS" para a aquisição de uma participação qualificada "de 4.225.659 ações representativas, representando 5%" da Media Capital.

Esta aquisição "será subscrita por uma sociedade comercial que se encontra em processo de constituição", refere a informação.

Na semana passada forma comunicados ao mercado o nome dos acionistas que representam 44% da Media Capital, a que se junta hoje mais 16,9%.

O grupo Triun, de Paulo Gaspar, filho do presidente da Lusiaves, contará com 20% da Media Capital, a sociedade Zenithodyssey, detida a 50% pela CIN, 18% pela Polopique e com o resto do capital divido por várias outras empresas, ficará com 16% da dona da TVI, e a Fitas e Essências, controlada por Stéphane Rodolphe Piccioto, da têxtil Confetil, adquiriu 3% da Media Capital.

Por sua vez, a entidade DoCasal Investimentos, da apresentadora e diretora de ficção e entretenimento da TVI, Cristina Ferreira, detém 2,5%.

Manuel Lemos de Ferreira Lemos, gestor ligado à área hospitalar, em Mirandela, adquiriu 2% do capital do grupo.

Estes investidores - que representa, mais de 60% - juntam-se ao empresário Mário Ferreira, dono da Douro Azul, que em maio comprou, através da Pluris Investments, 30,22% da Media Capital por 10,5 milhões de euros.

Fica agora por conhecer quem detém os restantes cerca de 4% da Media Capital.

A Prisa detinha, através da Vertix, 64,47% da dona da TVI.

O NCG Banco tem 5,05%, sendo que o capital disperso em bolsa ('free-float') é de 0,26%.

A Media Capital conta com seis canais de televisão e a plataforma digital TVI Player. Além da TVI, canal generalista em sinal aberto, conta com a TVI24, TVI Reality, TVI Ficção, TVI Internacional e TVI África.

Newsletter

As notí­cias não escolhem hora, mas o seu tempo é precioso. O SAPO 24 leva ao seu email a informação que realmente importa comentada pelos nossos cronistas.

Notificações

Porque as noticias não escolhem hora e o seu tempo é precioso.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.