Um dispositivo móvel que permite tirar um café em qualquer lugar, uma de barra de cereais com café, uma bebida fria de café com leite, café (sem cafeína) para crianças e uma marca de café em saqueta.

Por ordem, Walq, Croffee, Go Chill by Delta, Delta Q Qids e Delta Drip Coffee, foram estas as inovações apresentadas por Rui Miguel Nabeiro, administrador do Grupo Nabeiro durante o Delta Innovation Day, evento que decorreu no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa, e em que a marca de Campo Maior apresentou as suas novidades e o plano estratégico de crescimento.

Um plano que passa pela “ambição de chegar ao top 10 das marcas de café no mundo”, afirmou Rui Miguel Nabeiro, CEO da Delta Cafés.

Para já a faturação do grupo Nabeiro Delta Cafés cresceu “2,5% até final de setembro” e deverá  "aproximar-se dos 400 milhões" de euros em 2018. Em relação à Delta Q que "está a crescer 10%" em Portugal e “13% em termos totais” (mercados internacionais e Portugal), a faturação, no mercado interno e externo, em 2018, deverá atingir os “85 milhões de euros” (tendo registado “75 milhões de euros”, em 2017), disse Rui Miguel à margem de uma conferência de imprensa com jornalistas, no âmbito do Delta Innovation Day.

Ideias que nasceram em casa, com cereais, a frio e móvel e um café para meninos e meninas

Numa apresentação que bebe muito de inspiração das muitas feitas por Steve Jobs (cofundador, presidente e CEO da Apple), Rui Miguel Nabeiro salientou, mais que uma vez, que “a internacionalização e a inovação continuam a ser pilares estruturantes do Grupo”, sendo que esta última “faz parte do ADN” e é “uma ferramenta crucial” para a “sobrevivência” da empresa.

No campo da inovação, depois do lançamento no ano passado do Rise, este ano surgem duas novidades que nasceram dentro de casa, no Mind, modelo de Inovação da Delta, um impulsionador de ideias do Grupo. “Num universo de 300 ideias, acelerámos as 10 melhores e escolhemos duas”, resume Rui Miguel.

O Croffee, é uma barra de cereais com café, a comercializar a partir de dezembro. Terá duas versões, ou antes, será com ou sem chocolate, tudo concentrado em 85 calorias e 3 gramas de açúcar. “Tem a cafeína de um café expresso. Comer um Croffee é o mesmo que beber um café”, sintetiza.

Do laboratório de ideias internas foi desenvolvido e está pronta a sair para o mercado ibérico, e o outros mercados onde a Delta está presente, o Go Chill by Delta, que é nem mais nem menos que uma bebida fria de café com leite que surge em três versões: café latte, um cappuccino e também um cappuccino com leite de aveia 100% biológico.

Do desenvolvimento de um sistema hidráulico desenvolvido pelo Centro de Inovação do Grupo Nabeiro (Diverge), em parceria com a empresa 2EAST nasceu o primeiro café expresso móvel. Batizado de Walq é lançado sob a umbrella de Delta Q. “É um dispositivo móvel ultracompacto de extração de cápsulas com total autonomia energética”, descreve, comparando esta máquina com as que vendem, por exemplo, bebidas “em festivais de música ou estádios de futebol”. Com a tecnologia já existente, sem eletricidade, permite fazer a extração de 30 cafés em cada botija”, adiantou Rui Miguel Nabeiro.

Numa empresa que junta o avô, Comendador Rui Nabeiro, o filho, João Manuel Nabeiro e o neto, Rui Miguel Nabeiro, a pensar nos elementos mais novos do agregado familiar desenvolveram o Quids, um café, para menores de 12 anos, “sem cafeína, feita a base de cereais, com chocolate e sem ser necessário açúcar” e que estará disponível no próximo ano.

Uma retro-inovação, dois chefs e dois embaixadores

Coube a João Manuel Nabeiro, administrador do Grupo Nabeiro e Delta Cafés a apresentação do Drip Coffee, uma solução de café em saquetas. “É um projeto de retro-inovação”, assume. “Drip, em português significa pingar. Tem como fonte de inspiração a cultura oriental e é mais do que uma forma alternativa de beber café”, referiu.

Seguindo os exemplos do ano passado em que colocaram no mercado cápsulas com blends da autoria de Vítor Sobral e Chacal, este ano a escolha de recaiu sobre os chefs Ljubomir Stanisic e Ricardo Costa.

À espreita dos números 10-10 e 11-11. O Dia Nacional e a celebração dos Solteiros na China

E porque a internacionalização (em 10 anos o grupo passou de 28 para 48 países) é um passo natural da empresa que nasceu na vila alentejana de Campo Maior, o ator Ricardo Pereira e o antigo internacional português Pedro Pauleta vão ser os embaixadores da Delta, no Brasil e em França, respetivamente, à semelhança do que aconteceu com Anselmo Ralph, em Angola.

Questionado sobre qual o montante investido nestes novos produtos, o comendador Rui Nabeiro, fundador da empresa, afirmou tratar-se de "centenas de milhar de euros", não indicando o montante exato. "Não temos os números exatos, temos um investimento permanente. Em máquinas, marketing e em pessoas", disse.

Por fim, à margem do evento, Rui Miguel Nabeiro reafirmou que em 10 anos a Delta Q “vendeu 1,5 milhões de cápsulas, está presente em 25 países, tem e ficará com 4 lojas próprias (três em Portugal e uma no Brasil)” e mantém a ambição de “duplicar a faturação em 5 anos”.

Questionado sobre a presença na plataforma de comércio eletrónica chinesa Alibaba, onde entraram há cerca de um ano, o administrador Rui Miguel Nabeiro caracterizou o caminho até agora como "desafiante” e um processo “de aprendizagem a trabalhar no digital a sério".

A Alibaba "tem-nos apoiado, o desafio digital é mais complexo", salientou, acrescentando que o objetivo é "sedimentar a posição e ser relevante", adiantou. “Não podemos deixar de estar na China”, sintetizou, relembrando que este ano vão apanhar pela primeira vez “o 10-10 (10 de outubro, Dia Nacional da China) e o 11-11 (11 de novembro, Dia dos Solteiros)” que são dois grandes dias de movimento na plataforma.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.