“Espero que sim, mas ninguém tem a certeza, vamos ver, se vier é uma grande alegria, eu sou daqueles que ficam felizes com aquilo que é bom para o país, acho que todos os portugueses devem ficar felizes se Portugal sair do processo de défice excessivo”, disse o Presidente da República à margem de uma visita à Feira Nacional de Olivicultura, em Valpaços, no distrito de Vila Real.

O chefe de Estado reforçou que há um ano não era líquido que isso acontecesse, tendo gente “muito qualificada e inteligente” dito que matematicamente era impossível, mas na verdade foi possível chegar a esse défice.

“Agora haverá saída ou não haverá saída”, questionou, sublinhando que se houver saída será o primeiro a ficar feliz, será uma satisfação patriótica.

“Acho que todos os portugueses devem ficar felizes porque devem puxar o país para cima e puxar o país para cima é dizer que fizemos bem isto e ainda bem que fizemos, sem nos deslumbrarmos”, acrescentou.

Na quinta-feira, o primeiro-ministro, António Costa, afirmou que "tudo indica" que Portugal vai sair do Procedimento por Défice Excessivo antes do verão, sustentando que o país se encontra em pleno processo de "viragem".

António Costa manifestou esta convicção sobre a futura decisão das instituições europeias em relação a Portugal na abertura de um jantar da Câmara do Comércio Luso-Colombiana, em que tinha entre os convidados o antigo ministro social-democrata José Pedro Aguiar-Branco.

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.