Empunhando cartazes onde se lê “sou piloto da TAP e também sou contribuinte” e “perdão, sou piloto da TAP”, mais de 400 pilotos protestam em silêncio, apenas interrompido por aplausos.

O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) convocou uma manifestação, para hoje, dirigida aos trabalhadores que não se encontrem ao serviço, contra os “atropelos e injustiças” da administração da TAP e da tutela.

Em causa, segundo o SPAC, estão as recusas do Conselho de Administração da TAP Air Portugal para a realização de reuniões de trabalhadores.

O objetivo da manifestação é demonstrar insatisfação face aos “atropelos, injustiças e à forma como a administração e a tutela têm gerido a empresa e a relação laboral com os pilotos”, de acordo com o sindicato.

Fonte oficial da transportadora disse à Lusa que a empresa “lamenta não ter ainda chegado a um acordo com os seus Pilotos, essenciais à companhia”.

“E mantém-se empenhada em encontrar soluções que permitam garantir a sustentabilidade da empresa e de todos os seus trabalhadores”, acrescentou.

A manifestação teve início às 08:30, em Lisboa, junto ao Terminal de Tripulações do Areeiro (TTA), e termina no Campus da TAP.

A TAP disse hoje lamentar não ter chegado a um acordo com os seus pilotos, afirmando que se mantém “empenhada em encontrar soluções que permitam garantir a sustentabilidade da empresa e de todos os seus trabalhadores”.

Fonte oficial da transportadora disse hoje à Lusa que a empresa “lamenta não ter ainda chegado a um acordo com os seus pilotos, essenciais à companhia” e que se mantém “empenhada em encontrar soluções que permitam garantir a sustentabilidade da empresa e de todos os seus trabalhadores”.

(Notícia atualizada às 11h07)

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.