As pontes vão ser colocadas na estrada nacional 380 (via asfaltada que liga norte ao sul de Cabo Delgado) e nas vias rurais 698 e 762, de ligação a Mueda e Quissanga, respetivamente, anunciou o diretor-geral da Administração Nacional de Estradas (ANE), Américo Dimande, citado por órgãos estatais.

A intervenção faz parte de um conjunto de trabalhos de emergência que decorre ainda na sequência dos estragos provocados pelo ciclone Kenneth em abril de 2019.

O agravamento da insurgência armada na região desde quela altura tem travado diversas operações no terreno.

As pontes metálicas a instalar resultam de um donativo do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) no valor de 810 milhões de meticais (10,8 milhões de euros).

Cabo Delgado é uma província rica em gás natural, mas aterrorizada desde 2017 por rebeldes armados, sendo alguns ataques reclamados pelo grupo extremista Estado Islâmico.

O conflito já provocou mais de 3.100 mortes, segundo o projeto de registo de conflitos ACLED, e mais de 817 mil deslocados, segundo as autoridades moçambicanas.

Desde julho, uma ofensiva das tropas governamentais com o apoio do Ruanda a que se juntou depois a Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) permitiu aumentar a segurança, recuperando várias zonas onde havia presença de rebeldes, nomeadamente a vila de Mocímboa da Praia, que estava ocupada desde agosto de 2020.

LFO // VM

Lusa/Fim

Porque o seu tempo é precioso.

Subscreva a newsletter do SAPO 24.

Porque as notícias não escolhem hora.

Ative as notificações do SAPO 24.

Saiba sempre do que se fala.

Siga o SAPO 24 nas redes sociais. Use a #SAPO24 nas suas publicações.